Brasil

Reforma da Previdência: “Reaja agora ou morra trabalhando”

CUT lança campanha nacional e se organiza para lutar nas ruas contra a PEC 287

Por: Redação FENTAC com CUT - Publicação: 13/02/2017
Imagem de Reforma da Previdência: “Reaja agora ou morra trabalhando”

divulgação

Sob o mote “Reaja agora ou morra trabalhando”, a CUT lançou na quinta (9), em São Paulo, um movimento que deve tomar as ruas do país pela preservação de direitos históricos conquistados pela classe trabalhadora.  .

Durante o encontro, que reuniu os presidentes das 23 CUT’s estaduais e 14 ramos, o presidente nacional da Central, Vagner Freitas, alertou que a PEC 287 está atrelada ao golpe que derrubou a presidenta Dilma Rousseff.

Segundo Vagner, esse governo, que não foi eleito, "precisa fazer essas reformas para pagar o preço dos que financiaram o golpe e a PEC 287 faz parte desse projeto para se adequar ao congelamento dos gastos primários por 20 anos. A proposta dos golpistas não é reformar a Previdência e sim acabar com ela, para que os bancos vendam planos de previdência privada. Estamos debatendo com as demais centrais de que não devemos emendar essa reforma (PEC 287) e sim derrotar essa reforma”, afirmou..

De acordo com o dirigente, “o Temer está no governo há 9 meses e aumentou o desemprego e piorou a situação no Brasil. Diziam que bastava tirar o PT que tudo se resolveria e tudo piorou. É um golpe de destruição do Estado, destruição de uma política de direitos sociais construída lentamente desde os tempos de Getúlio Vargas”, encerrou.

Campanha contra a Reforma

A estratégia para tomar as ruas dos municípios do Brasil contra a Reforma da Previdência começa por levar à classe trabalhadora as informações sobre as regras impostas pela PEC 287.

Para tanto, a CUT lançará um hot site com diversas ferramentas, entre elas, o Mapa da Previdência e uma calculadora que auxiliará o trabalhador na difícil missão de decifrar a idade com que irá se aposentar, caso as novas regras prevaleçam.

Durante o encontro, Vagner Freitas lembrou que "a maioria dos municípios brasileiros tem menos de 100 mil habitantes". Esse dado é importante, pois essas cidades terão seus orçamentos afetados, já que os aposentados são fundamentais para a composição da economia local. "Se passar, essa Reforma quebrará os municípios", afirmou o presidente da CUT. Por isso, será decisiva a pressão feita nas ruas das cidades, sobre os prefeitos e sobre a base dos deputados e senadores que irão votar a Reforma.

Para o presidente da FENTAC, Sergio Dias, barrar qualquer tipo de ataque e retrocesso será o grande desafio dos aeronautas, aeroviários e aeroportuários. "Nossa unidade e organização é fundamental", alerta.


Assessoria de Imprensa e Comunicação da FENTAC/CUT
Agência: Mídia Consulte Comunicação Criativa & Marketing
Jornalista Responsável e Editora: Viviane Barbosa Mtb 28121
Jornalista-redatora: Vanessa Barboza - Mtb 74572
Redação:  jornalismo@midiaconsulte.com.br


Notícias Relacionadas

Guarulhos: Aula Pública no GRU Airport sobre Reforma Trabalhista

15/09/2017 -

Objetivo é esclarecer aos passageiros e trabalhadores no Aeroporto como ficarão os direitos trabalhistas com essa nova Lei, que entrará em vigor no dia 11 de novembro

FENTAC convoca Sindicatos para participar da campanha pela Anulação da Reforma Trabalhista

12/09/2017 -

Lançada pela CUT, a ação pretende coletar mais de 1,3 milhão de assinaturas

Não à Reforma Trabalhista: Pilotos e comissários aprovam “estado de greve” nos aeroportos

24/04/2017 -

Uma nova assembleia será realizada na quinta-feira (27) para definir paralisação nacional na sexta-feira (28)

+ Notícias

Publicações

+

Da Federação

Dos Sindicatos Filiados

Campanha Salarial 2016/2017

Galeria de Fotos

Solidariedade dos Sindicatos da aviação do Brasil e da América Latina à paralisação dos pilotos colombianos da Avianca

Sindicatos Filiados

Parceiros