Brasil

#TáNaHoraDeParar FENTAC apoia Campanha do Instituto Maria da Penha que denuncia violência contra a mulher no Brasil

A  Lei Maria do Penha completou  11 anos de vigência no País

Por: Viviane Barbosa, Redação FENTAC - Publicação: 07/08/2017
Imagem de #TáNaHoraDeParar  FENTAC apoia Campanha do Instituto Maria da Penha que denuncia violência contra a mulher no Brasil

Campanha Relógios da violência do IMP

A  Lei Maria do Penha ( nº 11.340) completou  11 anos de vigência no País na segunda-feira (7).  Uma grande conquista para todas as mulheres brasileiras,  que foi sancionada pelo ex-presidente Lula, em 2006.

Com a finalidade de chamar atenção sobre os números da violência contra a mulher, o Instituto Maria da Penha (IMP) lançou a Campanha  "Relógios da violência". Trata-se de um site que faz uma contagem, minuto a minuto, do número de mulheres que sofrem violência no país, mostra também quantas mulheres sofrem os cinco tipos de violência por segundo.

O objetivo é incentivar as denúncias de agressão, que podem ser físicas, psicológicas, sexuais, morais e até patrimoniais.

Considerada uma das três legislações mais avançadas do mundo, a LMP  responsabiliza agressores, protege as mulheres, previne violências.  Mas a Lei não impede a existência de uma cultura de estupro, destruição e morte das meninas e das mulheres. Mudar essa cultura é uma exigência para que a VIDA DAS MULHERES seja valorizada.

Desmonte das políticas públicas para mulheres

A primeira medida que o presidente Michel Temer fez, além de apresentar os ministros de seu governo sem nenhuma mulher, foi acabar com a Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM) que garantia os complementos essenciais para o funcionamento completo da Lei Maria da Penha.
“Pacto pelo Enfrentamento à Violência contra mulher”, “Programa Mulher, Viver Sem Violência” e o “Dique 180” são políticas que estão praticamente abandonadas.

Em entrevista ao Portal da CUT, a secretária da Mulher Trabalhadora da CUT, Junéia Martins Batista,  disse que com o golpe instituído em 2016 e o rompimento do Estado Democrático e  de Direito e o desmonte das políticas públicas com a aprovação da Emenda Constitucional 95, que congela os investimentos em saúde e educação por 20 anos, as políticas voltadas as mulheres sofreram reveses imensuráveis.

A FENTAC/CUT manifesta todo apoio à nobre Campanha . Chega de Violência contra as mulheres!


Assessoria de Imprensa e Comunicação da FENTAC/CUT
Agência: Mídia Consulte Comunicação Criativa & Marketing
Jornalista Responsável e Editora: Viviane Barbosa Mtb 28121
Jornalista-redatora: Vanessa Barboza - Mtb 74572
Redação:  jornalismo@midiaconsulte.com.br


Notícias Relacionadas

Campanha Salarial: FENTAC e FNTTA realizam primeira rodada de negociação com as empresas aéreas

09/10/2017 -

Neste ano, a negociação vai acontecer  em conjunto com as entidades

Brasília: Aeroportuários participam de audiência no TST para debater Campanha Salarial na Infraero

06/10/2017 -

Mediação proposta pelo órgão ouviu apenas o Sindicato. Nova audiência com a estatal ainda não tem data prevista

Campanha Salarial: Aeronautas aprovam pauta de reivindicações

27/09/2017 -

A data-base da categoria é 1º de dezembro e estarão em Campanha cerca de 20 mil pilotos, copitos e comissários de voo da base da FENTAC no país

+ Notícias

Publicações

+

Da Federação

Dos Sindicatos Filiados

Campanha Salarial 2016/2017

Galeria de Fotos

1ª rodada de Negociação da Campanha Salarial dos Aeronautas e Aeroviários 2017

Sindicatos Filiados

Parceiros