Fatalidade ou ganância

Por Silvio Moacir de Mello*Quando a qualidade situa-se à frente do lucro, o crescimento é lento, mas real, à medida que não contabiliza perdas.
 
A aviação, a exemplo de tantas técnicas profissionais
desenvolvidas pela humanidade, é inconcebível sem a devida
responsabilidade e competência de seus heróis anônimos, ao contrário do
que se concebe na política brasileira, com seus muitos irresponsáveis,
ardilosos e covardes já velhos conhecidos, ou novos ocultos, todos
abutres da ingenuidade das pessoas que os elegem.

173

Daí a obrigatoriedade
do voto como primeira das hipocrisias, desde as campanhas eleitoreiras
defendendo a tal democracia deste país, com horário eleitoral gratuito,
anulando tantas promessas ridículas com seus atores e atrizes
oportunistas, um lucro imediatista e predatório das reais soluções
necessárias e urgentes.

 
A politicagem promoveu a mudança de cultura da prática da aviação
comercial no Brasil continental, com tamanha irresponsabilidade, que a
ganância é maior que a segurança requerida por essa atividade.
Tradicionalmente, a história genética e operacional da Varig, no Brasil
e no mundo, foi e é, incontestavelmente, comprovada pelos seus quase
oitenta anos nesse mercado, primando pela sensatez da experiência que
os anos rebrotaram em seus funcionários, veneradores da filosofia de
respeito e humanismo dos seus fundadores.
 
A VEM – Engenharia e Manutenção, oriunda direta da velha Varig,
alicerçada nos velhos valores de cuidado e segurança para com as
aeronaves que visa, foi, é e será consciente da responsabilidade que é
aprovar, ou não, um equipamento aeronáutico conforme seu fabricante.
Isto não se trata de saudosismo, ou apego ao passado de uma gestão
empresarial que deu certo, mas sim da realidade de valores indeléveis e
dorsais para qualquer inovação que haja. No momento que a administração
da Varig definhou e conspirou contra o próprio legado histórico e
competente do seu corpo funcional, num total descaso com a importância
da manutenção dos serviços prestados pelos funcionários desta empresa,
simplesmente deu as costas para a “velha Varig†e promoveu e promove a
festa dos lucros que se vê no setor atualmente, à custa de qualquer
preço. Lamento, principalmente, pelas vítimas que não tiveram poder de
escolha. Que no superior tribunal divino, o destino reserve uma
condição recompensadora para todos, no além, amém.

* aeroviário