Táxi Aéreo: Aeronautas e aeroviários aguardam audiência de mediação no TST

A data base das categorias é 1º de dezembro e, até o momento, o SNETA não avançou nas negociações

284

Por conta do não avanço nas negociações com o Sindicato Nacional das Empresas de Taxi Aéreo (SNETA), o Sindicato Nacional dos Aeroviários e o Sindicato Nacional dos Aeronautas,ambos filiados à FENTAC/CUT, entraram com um pedido de mediação no Tribunal Superior do Trabalho (TST).

O Sindicato dos Aeroviários convocará todos os trabalhadores para assembleia em que vai ser discutida a realização de uma greve. A data será definida quando a audiência de mediação for marcada.

Em relação aos aeronautas, o SNETA, que pediu o adiamento da primeira audiência no dia 12 de março, agora se recusa a discutir a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho. O Sindicato já sinalizou que caso o sindicato patronal não volte a se posicionar levará a questão a dissídio.

Negociação

Na última rodada de negociação, realizada no dia 24 de fevereiro, entre a FENTAC, os Sindicados dos Aeronautas e Aeroviários filiados e o SNETA, a bancada patronal se  manteve intransigente.

O SNETA mais uma vez propôs um abono no valor de R$ 720 aos aeroviários e R$ 1800 aos aeronautas, a ser pago em duas parcelas: 50% em abril e 50% em setembro de 2015 e pagar o INPC (6,33%) apenas no piso salarial. Nas cláusulas sociais também não houve avanço. A data-base é 1º de dezembro e os trabalhadores reivindicam 11% de aumento salarial e aplicação deste índice nos demais itens econômicos.

 Reivindicações (táxi aéreo)
– Reajuste de todos os itens econômicos (salários, diárias, pisos, vale-alimentação, diária de hotel e seguro): 11%
– Alteração da cláusula da Compensação Orgânica;
– Remuneração das horas noturnas;
– Inclusão de cláusula de multa em caso de descumprimento.

Redação FENTAC com informações do Sindicato Nacional dos Aeronautas e Aeroviários