FENTAC e Sindicatos repudiam demissão de trabalhadores na LATAM Uruguai

Para as entidades, a conduta da empresa aérea foi lamentável e, acima de tudo, desumana

858

A Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil da CUT (FENTAC) e os sindicatos filiados dos Aeroviários de Guarulhos, Pernambuco, Porto Alegre e o Nacional de Aeroviários repudiam veementemente a demissão arbitrária de 34 aeroviários na LATAM Uruguai, no Aeroporto de Montevidéu, ocorrida na segunda-feira (11). 

Segundo informações da Associação de Funcionários das Companhias Aéreas Estrangeiras (AFCAE), as demissões pegaram os trabalhadores de surpresa e foram feitas sem consulta ao Sindicato. 

 A LATAM apenas notificou na sexta-feira (8) que teria um aviso "muito importante" para fazer na segunda-feira (11), mas na noite de domingo estava publicado no site da empresa a lista de todos os trabalhadores que seriam demitidos. Uma conduta vexatória que se caracteriza como assédio moral.

E o pior, a companhia aérea trouxe do exterior uma equipe de 23 funcionários, que segundo o Sindicato, não possuem credenciamento para trabalhar no país. Eles estarão no Uruguai até 16 de dezembro. 

Procurada pela imprensa local, a LATAM informou que decidiu terceirizar seu serviço de check-in nos aeroportos de Montevidéu e Punta del Este. Essa medida arbitrária viola todas as garantias dos trabalhadores contidos em seus acordos coletivos.  A partir de 13 de dezembro, o serviço de check-in será feito pela empresa Global Airport Services e seus funcionários não terão organização sindical ou acordo de negociação coletiva para garantir seus direitos. 

Precarização no trabalho

Essas condições de trabalho significam danos econômicos aos trabalhadores uruguaios. Enquanto até agora alguns trabalhadores receberam uma renda mensal de US$ 60.000 pesos uruguaios, a Global Airport Services paga aos seus funcionários $ 280 pesos por hora nominal, que resulta em um salário mensal bem inferior.  A LATAM Airlines tem implantado uma política severa no país de precarização do trabalho e desmantelamento progressivo de equipes treinadas e experientes que dão à  companhia aérea a força e segurança de suas operações, voos e serviços aos passageiros.

Essa conduta da LATAM Airlines é lamentável e, acima de tudo, desumana! Demitir  34 pais e mães nesta época de Natal, que não terão condições emocionais para proporcionar um fim de ano digno com suas famílias.

As entidades sindicais brasileiras da aviação esperam que as autoridades competentes da Justiça de Montevidéu apliquem medidas  para reverter essas demissões, que colocarão em risco as operações em solo e a segurança de voo dos passageiros.

Mais uma vez a FENTAC e os Sindicatos Aeroviários filiados expressam seu apoio e solidariedade às trabalhadoras e trabalhadores aeroviários demitidos. Basta de precarização!

Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil da CUT (FENTAC)