Campanha Salarial Táxi Aéreo: SNETA não avança e trabalhadores podem aprovar paralisação no dia 29

    Em rodada de negociação realizada na sexta-feira (19), empresas mantiveram proposta rejeitada pelas categorias

    350

    A Campanha Salarial dos aeronautas e aeroviários do Táxi Aéreo continua emperrada. Em rodada de negociação realizada na sexta-feira (19) não houve avanço entre os sindicatos da base da FENTAC/CUT com o Sindicato Nacional das Empresas de Táxi Aéreo (SNETA). A reunião aconteceu na sede do Sindicato Nacional dos Aeronautas, no Rio de Janeiro.

    A bancada patronal manteve a proposta já rejeitada pelos trabalhadores de reposição salarial que consiste em  2% de reposição para aeroviários que ganham até dois salários mínimos (R$ 1.576) e 2% para aeronautas que ganham até R$ 5 mil. Os trabalhadores que recebem acima desses valores, não teriam o reajuste.

    Diante do impasse, a bancada dos trabalhadores informou que as categorias poderão aprovar paralisação nas assembleias agendadas no dia 29 de fevereiro. O SNETA disse que conversará com as empresas e sinalizou que apresentará uma nova proposta no dia 26.

    Reajuste
    Na mesa de negociação, os representantes da FENTAC e dos sindicatos filiados sugeriram à bancada patronal que apresente algo factível que possa ser apreciado em assembleias das categorias, citando como proposta o reajuste salarial de 11% nos salários e demais benefícios econômicos, retroativos à data-base, 1º de dezembro.  “Fizemos esse exercício na mesa, vamos aguardar a apreciação dos trabalhadores nas assembleias. Esperamos que o SNETA avance, caso contrário, as categorias se mobilizarão para fazer um grande movimento paredista”, informa Sergio Dias, presidente da FENTAC.

    Base
    A data-base das categorias venceu em 1º de dezembro. Na base da FENTAC, estão em Campanha cerca de 50 mil aeronautas e aeroviários que trabalham em helicópteros em vários regiões do país.