Guarulhos: Aeroportuários fazem protesto na Câmara Municipal contra demissões em massa no GRU Airport

Entidade denunciará ao MPT e à ANAC que as demissões provocarão danos à segurança no aeroporto

774

O Sindicato Nacional dos Aeroportuários (Sina) realizou um protesto na quinta-feira (2) na Câmara Municipal de Guarulhos contra as demissões em massa no Aeroporto de Cumbica, na Grande São Paulo, o GRU Airport.

Segundo o Sina, cerca de 200 trabalhadores foram desligados e o anúncio foi feito pela Nova Gerência de Recursos Humanos da Concessionária que administra o Aeroporto, no dia 1º de fevereiro.

Foram demitidos seguranças do saguão e do pátio de manobras das aeronaves, funcionários dos setores de operações, de taxiamento de aviões, de manutenção da estrutura do aeroporto e do terminal de carga. 

“São áreas importantes e que podem colocar em risco o usuário, como trânsito de cargas perigosas. Não tem necessidade de fazer esta demissão em massa e não pode haver número insuficiente de agentes para a segurança e fiscalização de Guarulhos, que é o maior terminal do país. Não tem como um profissional ficar correndo de um lado para o outro para cumprir o serviço”, alertou em entrevista ao Portal G1, o diretor do Sina, Samuel Santos.

Inquérito contra GRU Airport 

Durante o protesto na Câmara, o  vereador Maurício Brinquinho (PT) apoiou a luta do Sina e protocolou um pedido de criação de uma comissão especial de inquérito para apurar a situação.  A abertura ainda será debatida entre os vereadores. 

Em entrevista à imprensa, a prefeitura de Guarulhos lamentou as demissões, mas disse que “não tem como inferir na gestão de empresas que atuam no município”. 

O diretor do Sina rebateu alegação do GRU Airport de que as demissões fazem parte de um processo de “reestruturação da empresa”, em razão da situação econômica do país. “Isso é uma grande falácia, pois a preocupação é com foco no lucro”, disse.

Ministério do Trabalho 
O Sina vai denunciar ao  Ministério Público do Trabalho e à Agência Nacional de  Aviação Civil que as demissões irão prejudicar 200 famílias e provocarão danos à segurança no aeroporto. A Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil da CUT (FENTAC)  se solidariza com os aeroportuários demitidos e se soma à luta do Sina.

 “Esperamos que a GRU Airport  repense essa decisão, revogue essas demissões e valorize, acima de tudo, o diálogo e a negociação, que são os melhores caminhos para dirimir os conflitos”, destaca Sergio Dias, presidente da entidade.