#QueroMeAposentar Aeroviários participam de atos contra a Reforma da Previdência em todo o país

Mobilização foi realizada nesta segunda (19) em diversos aeroportos da base do Sindicato Nacional dos Aeroviários e em Porto Alegre

868

Os aeroviários da base do Sindicato Nacional dos Aeroviários estão participando nesta segunda-feira (19), Dia Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência, de atos em  diferentes pontos do país.

Em Brasília (DF), representantes do SNA recebem deputados no desembarque do Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek com a faixa “Se votar, não volta”, em referência à PEC 287/16 que chega hoje à data inicial de votação da Câmara, mas que ainda está longe de ser aprovada.  

Nos outros estados os representantes do Sindicato relatam forte participação de inúmeras categorias e grande integração da população nos atos realizados pelas Centrais Sindicais. “Não vamos esperar sentados que o governo defina uma data de votação desta Deforma da Previdência. Vamos à luta, companheiros!”, afirma Luiz Pará, presidente do SNA.

Porto Alegre

Dirigentes do Sindicato dos Aeroviários de Porto Alegre (Sindaero POA) também se somaram à luta em protesto na manhã desta segunda-feira (19), no aeroporto Salgado Filho.  

Previdência não está quebrada

Temer mente ao falar que a Previdência Social está quebrada e não terá dinheiro para pagar as aposentadorias, caso não seja aprovada a Reforma. Relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado, liderada pelo senador Paulo Paim (PT/RS), diz o contrário: a Previdência tem dinheiro. Em 15 anos (2000 a 2015) o superávit foi de R$ 2.1 trilhões.
Se Temer quisesse mesmo “acabar com privilégios”, não perdoaria as dívidas dos grandes devedores da Previdência Social, como tem feito de forma descarada. A sonegação (dinheiro público que foi pelo ralo) atingiu R$ 4,7 trilhões.
Segundo a CPI, o governo manipula dados e cálculos, com o apoio da grande imprensa, visando acabar com a previdência pública.  A intenção é entregar para iniciativa privada um potencial enorme de lucro as custas dos trabalhadores, especialmente os mais pobres.
 

Congresso suspende reforma da Previdência

Os protestos e paralisações realizadas pelos trabalhadores de diversas categorias nesta segunda-feira (19) já surtiram efeito e derrotaram a tentativa do governo ilegítimo de Temer em tentar colocar a PEC 287 da Previdência para votação.  

Em entrevista à EBC e Congresso em Foco, órgãos oficiais do Governo, o presidente do Congresso Nacional, Eunício Oliveira (MDB-CE), determinou nesta segunda-feira (19) à Mesa Diretora da Casa que suspenda a tramitação de todas as propostas de emenda à Constituição (PEC) enquanto vigorar o decreto de intervenção federal no Rio de Janeiro, previsto até dezembro. A suspensão atinge em cheio a reforma da Previdência, que é uma PEC.