Táxi Aéreo: Aeronautas vão entrar em greve

Categoria paralisará as atividades a partir de 31 de agosto

323

Os aeronautas do setor do táxi aéreo decidiram em assembleia realizada na terça (18) que  farão greve. O motivo da paralisação é o não avanço nas negociações para a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria. As assembleias aconteceram em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Macaé, Cabo Frio e Jacarepaguá. A informação é do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA).

Ficou definido pela categoria a suspensão parcial e escalonada dos serviços. A paralisação será feita sempre das 6h às 18h, nos seguintes dias e aeroportos:31 de agosto – Macaé (RJ);
1 de setembro – Cabo Frio (RJ); 2 de setembro – Curitiba (PR); 3 de setembro – Vitória (ES).

Em assembleias que serão convocadas durante esse período, a categoria irá decidir as datas e locais das próximas paralisações.

O SNA informou em nota que  a categoria manterá em funcionamento os serviços ou atividades essenciais, garantindo assim, durante a greve, a prestação de serviços inadiáveis para a comunidade.
 

Entenda o caso

Desde o ano passado, a FENTAC e o Sindicato Nacional dos Aeronautas estão em negociação com  Sindicato Nacional das Empresas de Táxi Aéreo (SNETA). No entanto, as companhias aéreas foram intransigentes e ofereceram 0% de reajuste.  A data-base da categoria é 1º de dezembro.

Com isso, a Federação e o SNA pediram a mediação do Tribunal Superior do Trabalho (TST), que formulou uma proposta por meio de seu vice-presidente, ministro Ives Gandra Martins Filho —reajuste nos salários de 3,14% e INPC para as demais cláusulas econômicas.

A categoria recusou integralmente em assembleia,  já que não haveria nem mesmo reposição inflacionária.

Redação FENTAC com SNA