Aeronauta brasileiro é eleito vice-presidente da Ifalpa

O comandante Osvaldo Neto representará a região da América do Sul e Caribe, durante a 70ª edição da Conferência Anual da entidade, em Madri

399

O comandante Osvaldo Neto foi eleito vice-presidente executivo da Federação Internacional das Associações de Pilotos (Ifalpa) para a região da América do Sul e Caribe, durante a 70ª edição da Conferência Anual da entidade, em Madri (Espanha). A eleição aconteceu no dia 12 de abril.

Membro da Abrapac (entidade representante da Ifalpa no Brasil) e diretor do Sindicato Nacional dos Aeronautas, o comte. Neto terá um mandato de dois anos.

Esta é a primeira vez que o Brasil assume o cargo de vice-presidente executivo na Ifalpa. Antes, já houve representantes de pilotos brasileiros na instituição — porém essa representatividade havia se perdido nos últimos anos.

Para ser eleito, o comte. Neto teve fundamental apoio da  Federação dos Sindicatos de Pilotos da América Latina (Fespla) e das associações Abrapac, Asagol e ATT.

A Ifalpa e o vice-presidente executivo regional

A Ifalpa representa cerca de 100 mil pilotos e mecânicos de voo em mais de cem países ao redor do mundo. Sua missão é ser a “voz global” destes profissionais, unificando os sindicatos da categoria e representando-os em escala internacional, sempre tendo em conta a promoção dos mais altos níveis de segurança de voo.

A instituição atua interagindo com organizações internacionais e desenvolvendo e promovendo políticas e regulamentações junto à ICAO (Organização da Aviação Civil Internacional).

O vice-presidente executivo regional, cargo para o qual o comandante Neto foi eleito, tem o papel de facilitar e promover a interação entre as associações nacionais locais e a Ifalpa, coordenar as ações da federação internacional, implementar suas políticas e organizar reuniões para discutir assuntos da aviação e apresentar propostas para a região.

Conferência

Além de eleger novos representantes e apresentar resultados e avaliações, a Conferência Anual também discutiu a atuação da Ifalpa para o futuro na implantação de planos estratégicos de ações que favoreçam políticas e regulamentações do setor de aviação em todo o mundo.

Entre os temas debatidos estiveram administração e finanças do setor, trafego aéreo, prevenção de acidentes, operações de aeronaves, segurança e fatores humanos.

Do Sindicato Nacional dos Aeronautas