Comissão Paritária Aeroviários: TST marcará audiência para discutir os desdobramentos

A última reunião com as empresas aéreas aconteceu em, 9 de abril, e não teve avanço

351

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) agendará em breve uma audiência com representantes da FENTAC, sindicatos aeroviários e o Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (SNEA) para ouvir os desdobramentos da reunião da Comissão Paritária que debateu a criação do piso salarial do trabalhador (a) do check-in e suas atribuições.  A última reunião entre os trabalhadores e as empresas  aconteceu em 9 de abril.

Esse encaminhamento aconteceu após audiência solicitada pela FENTAC ao TST em Brasília, na semana passada, na qual o  presidente da Federação, Sergio Dias, disse ao ministro Ives Gandra Filho, que as negociações com o SNEA  não evoluíram nas reuniões das comissões paritárias.

Segundo Dias, o ministro contou que o sindicato patronal havia passado uma data de 90 dias para conclusão dos debates, mas foi surpreendido quando os dirigentes da FENTAC  disseram que não teve esse encaminhamento. “Se as empresas aéreas tivessem aplicado o piso, como haviam negociado, que era  R$ 1055, há dois anos atrás, já teríamos hoje, com as correções salariais, o valor equilibrado para o agente de check-in ", explica o sindicalista.

Taxi aéreo

Outro tema debatido com o ministro foi a negociação com o Sindicato Nacional das Empresas de Taxi Aéreo (SNETA), que está emperrada desde o ano passado. Os aeroviários no SNETA,  de Macaé (RJ), Cabo Frio (RJ) e Vitória (ES) estão sem reajuste salarial. A situação também é igual para os aeronautas.

O presidente da FENTAC contou que há uma mobilização forte dos trabalhadores que cobram resposta e o TST se comprometeu a avaliar o caso.

Histórico das reuniões da Comissão Paritária dos Aeroviários

Até o momento, foram realizadas três reuniões da Comissão Paritária, proposta pelo TST como um encaminhamento das reivindicações dos trabalhadores na Campanha Salarial 2014/2015. Nenhuma teve avanço, em razão da postura intransigente do SNEA.
A FENTAC reivindica a criação de um piso para o trabalhador do Check-in no valor de R$ 1.400 e que seja caracterizada as suas funções. “É uma vergonha  as empresas aéreas se recusarem a pagar a nossa proposta de piso. Quem trabalha nesta aérea desempenha funções importantes que asseguram a segurança no voo, como: a conferência da documentação, a checagem da bagagem dos clientes e, se fizer um procedimento errado, o trabalhador ainda é punido. Além disso, as empresas exigem que fale inglês/espanhol”, atesta Nilton Mota, dirigente da Federação e do Sindicato Nacional dos Aeroviários.

Hoje, segundo levantamento preliminar do Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA), os Agentes de Check-in recebem em média, depende da região, de R$ 990 (TAM-Navegantes) a R$ 1.735,00 (GOL-Guarulhos após dois anos na função).

 Reunião bimestral

Está agendada para o próximo, dia 29 de junho, a reunião bimestral entre a FENTAC, os sindicatos aeroviários e o SNEA, na sede da entidade patronal em  São Paulo. A reunião está prevista na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).
 

Viviane Barbosa com Vanessa Barboza, da Redação FENTAC – última atualização às 16h37