TST avalia demissões de aeroviários

    De acordo com SNA, trabalhadores foram demitidos após paralisações lideradas pela FENTAC/CUT na Campanha Salarial 2014/2015

    380

    Dirigentes do Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA) participaram de audiência com o vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Ministro Ives Gandra da Silva Martins Filho, em seu gabinete em Brasília.

    O objetivo foi reivindicar a reintegração a nível nacional dos aeroviários e aeroviárias que foram demitidos por terem participado das paralisações lideradas pela FENTAC/CUT, em dezembro do ano passado, durante a Campanha Salarial 2014/2015.

    Ives Gandra, que também foi responsável pela mediação do último acordo coletivo de atualização da CCT (Convenção Coletiva de Trabalho) dos Sindicatos filiados à FENTAC/CUT, declarou na ocasião que nenhum (a) profissional deveria ser demitido (a) ou sofrer qualquer tipo de retaliação em função da participação nos movimentos grevistas liderados pelos Sindicatos Cutistas durante a Campanha. 

    Segundo Carlos Geison, dirigente sindical da subsede de Brasília do SNA, Ives Gandra informou que vai estudar caso por caso para avaliar a reintegração dos profissionais demitidos. Carlos, que atua na terceirizada Security Fly, explica que além das dispensas irregulares a audiência também debateu a comum prática de perseguição aos sindicalistas nas empresas prestadoras de serviços. “Em função dos atos realizados na última Campanha Salarial da categoria, sofro até hoje retaliações da empresa. Não me deixaram fazer curso de supervisor de segurança de aeroporto e estão barrando minhas convocações sindicais”, conta.  O ministro avalia o caso. 

    Do SNA