12º CONCUT: “Combate à terceirização e às concessões são alguns temas que debateremos”, destaca presidente da CNTTL/CUT

    Aeroportuária de Uberlândia, Mara Meiry, é uma das dirigentes que representará o ramo do transporte no Congresso

    354

    Dirigentes da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes da CUT (CNTTL/CUT) participarão na próxima terça-feira (13) no 12º Congresso da CUT Nacional (CONCUT) "Educação, Trabalho e Democracia. Direito não se reduz, se amplia", que acontecerá no Centro de Convenções do Anhembi, em São Paulo.

    Em reunião da Executiva da CNTTL/CUT, realizada em 17 de setembro, foi aprovada a indicação das companheiras: Roberta Vieira Santos (Rodoviária da Bahia e dirigente do Conselho Fiscal), Mara Meiry Tavares de Jesus Amaro (aeroportuária de Uberlândia e Secretária da Mulher) e o companheiro Alfredo Colleti (trabalhador do sistema viário de São Paulo e Secretário de Formação) representarão a CNTTL/CUT no 12º CONCUT.

    O caminhoneiro e Secretário de Relações do Trabalho da Confederação,Benedito Pantalhão, Benê, participará como observador no Congresso.

    ""
    Mara Meyre, aeroportuária de Uberlândia, é Secretária Nacional da Mulher da CNTTL/CUT

    O presidente da Confederação, Paulo João Estausia, Paulinho, (foto) também participará do Congresso, destaca que o combate à terceirização, citando como exemplo o nefasto PL 4330, que não só atinge o transporte, mas todas as categorias profissionais, bem como a redução na jornada de trabalho, sem redução no salário, e a questão das concessões das empresas de transporte aéreo, portos e rodovias são alguns pontos importantes que serão levados ao CONCUT.  “As concessões são um grave problema que está atingindo o nosso ramo, porque vem trazendo desemprego e precarização no trabalho”, finaliza.
    Representações dos sindicatos e federações filiadas à CNTTL/CUT de todo o País também participarão do 12º CECUT.

    Dados e programação do 12º CONCUT

    Do dia 13 ao dia 16, 2.435 sindicalistas de todas as Regiões do Brasil – 1.015 mulheres e 1.410 homens, do campo e da cidade -, e 219 sindicalistas de 71 países de todos os continentes discutirão conjuntura política e econômica, debaterão estratégias e propostas concretas de ações em defesa da democracia e uma política econômica popular.
    Além das secretarias já existentes, a CUT criou três novas pastas: Mobilização, cujo objetivo é estreitar relações com os movimentos sociais; Cultura e Assuntos Jurídicos.
    A CUT, maior central sindical do Brasil, tem 3.820 entidades filiadas, 7.890.353 sócios e representa um total de 24.062.754 trabalhadores e trabalhadoras do campo e da cidade.
     

     

    Programação
    13/outubro – às 09h00, Seminário Internacional;
    às 20h00, abertura política;

     

    14/outubro – às 09h10 – Mística de abertura e lançamento da Década Internacional Afrodescentes
    às 10h00 – Mesa de análise de conjuntura Internacional e Nacional;
    às 14h30 – Mesa A Defesa da Democracia e dos Direitos;
    às 16h00 – Mesa Balanço, Estratégia, Defesa da Democracia;

     

    15/outubro – 09h00 – Mesa Economia Brasileira: crise e política econômica alternativa elaborada pela CUT;
    11h00 – Proposta da CUT para a crise econômica;
    14h30 – A educação no Brasil;
    16h00 – Políticas públicas (educação e políticas permanentes e políticas permanentes da CUT);

     

    16/outubro – 09h00 – Estatuto
    10h00 – Inscrição de chapas, apresentações, propostas e votação em plenário;
    11h00 – Projeto político organizativo;
    14h30 – Plano de lutas, aprovação de propostas; debate e votação em plenário;
    16h30 – Eleição da nova diretoria.