Campanha Salarial: Aeroviários e Aeronautas aprovam "estado de greve" nos aeroportos da base da FENTAC/CUT

    Aeroviários também iniciam operação “Trabalhe, Sem Exploração"

    575

    Os aeroviários de Guarulhos, Porto Alegre, Recife e em todos os aeroportos da base do Sindicato Nacional aprovaram em assembleias realizadas em turnos na sexta-feira (18) o indicativo de “estado de greve” e a realização da “Operação, Trabalhe, Sem Exploração" (saiba mais abaixo) a partir desta semana nos aeroportos.

    O “estado de greve” também foi aprovado pelos aeronautas em assembleias realizadas na segunda-feira (21), em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Porto Alegre e Campinas. 

    Os trabalhadores, que estão em Campanha Salarial, reprovaram a contraproposta de reajuste no salário de apenas 4% feita pelo Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (SNEA), em negociação com a Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil da CUT (FENTAC) e os sindicatos filiados. 

    Na última rodada da Campanha, as empresas ofereceram no vale- alimentação, seguro de vida e na multa por descumprimento de cláusulas somente 5% e  ainda se recusaram a negociar qualquer melhoria ou inclusão de direito para a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).

    O “estado de greve” foi deflagrado em razão que os aeroviários e aeronautas não concordam com a postura intransigente das empresas que apresentaram modificações nas cláusulas sociais vigentes na CCT que "retiram e pioram"os direitos e com a contraproposta patronal que está “muito abaixo” da inflação projetada do período da data-base, que é em 1º de dezembro.

    Os trabalhadores reivindicam a reposição integral da inflação da data-base dos últimos 12 meses,  que é calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC),  e mais 5% de aumento real nos salários em todos os benefícios econômicos. 

    Direitos sociais

    Os aeroviários e aeronautas também definiram nas assembleias que não vão aceitar retrocessos nos direitos sociais, conquistados na Convenção Coletiva de Trabalho e que são considerados históricos e consagrados,  e ainda vão continuar a pressão para que as empresas abram o diálogo para negociação de melhorias nos direitos na CCT e a inclusão de novas cláusulas sociais.

    Algumas cláusulas reivindicadas pelos aeroviários são o auxílio maquiagem, em razão que as empresas exigem um padrão e em média a trabalhadora gasta 10% de seu salário; garantia adequada de trabalho para aeroviária gestante; o direito ao auxílio creche para o pai aeroviário, hoje na CCT só a aeroviária tem esse benefício e o custeio no tratamento por parte da empresa em casos de acidente ou doença oriunda no trabalho.

    Já os aeronautas reivindicam disponibilização de escalas com 5 dias de antecedência; eliminação da restrição de 5 assentos para o Passe Livre; reembolso para qualquer exame necessário quando da revalidação de Certificado Médico Aeronáutico (CMA);  fornecimento pelas empresas de condução, quando na base, para apresentações ou encerramentos entre 23h e 6h; período oposto de 10 dias e descanso da tripulação comercial em voos com tripulação composta ou revezamento.

    “Operação Trabalhe, Sem Exploração”

    Os dirigentes dos Sindicatos dos aeroviários filiados à FENTAC estão mobilizando a categoria para a realização da “Operação Trabalhe, Sem Exploração” nos seus turnos. 

    A ação consiste em o trabalhador realizar as tarefas do dia, da sua competência, dentro da respectiva jornada, sem exceder o horário, e não executar tarefas que caracterizem acúmulo de função.  

    Próximas rodadas de negociação e assembleia geral no dia 1/12

    Estão agendadas negociações com as empresas aéreas nesta quinta-feira (24) e no dia 30 de novembro. 

    A FENTAC e os sindicatos filiados esperam que as empresas mudem a posição intransigente e negociem as pautas dos trabalhadores. 

    Caso  não haja avanço nas negociações, os aeroviários poderão aprovar indicativo de greve geral na Assembleia Geral agendada no dia 1º de dezembro.

    Clique aqui e acesse mais sobre a Campanha Salarial da FENTAC