Campanha Salarial: Aeroviários de GRU, Porto Alegre, Recife e Nacional aprovam "estado de greve" nas operações em solo nos aeroportos

Medida também foi aprovada pelos aeronautas em assembleias realizadas na segunda (21)

471

Os aeroviários de Guarulhos, Recife e Porto Alegre e em todos os aeroportos da base do Sindicato Nacional  já aprovaram em assembleias realizadas em turnos na sexta-feira (18) o indicativo de “estado de greve” e  a realização da "Operação Trabalhe, Sem Exploração"  a partir desta semana nos aeroportos.

Os trabalhadores, que estão em Campanha Salarial, reprovaram a contraproposta de reajuste no salário de apenas 4% feita pelo Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (SNEA), em negociação com a Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil da CUT (FENTAC) e os sindicatos filiados. 

Na última rodada da Campanha, as empresas ofereceram no vale-alimentação, seguro de vida e na multa por descumprimento de cláusulas somente 5% e  ainda se recusaram a negociar qualquer melhoria ou inclusão de direito para a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).
 
O estado de greve será deflagrado em razão que os aeroviários não concordam com a postura intransigente das empresas e com a contraproposta patronal que está “muito abaixo” da inflação projetada do período da data-base, que é em 1º dezembro.

Os trabalhadores reivindicam a reposição integral da inflação da data-base dos últimos 12 meses,  que é calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC),  e mais 5% de aumento real nos salários em todos os benefícios econômicos. 

 Direitos sociais

Os aeroviários também definiram nas assembleias que não vão aceitar retrocessos nos direitos sociais, conquistados na Convenção Coletiva de Trabalho e que são considerados históricos e consagrados,  e ainda vão continuar a pressão para que as empresas abram o diálogo para negociação de melhorias nos direitos na CCT e a inclusão de novas cláusulas sociais.

Algumas cláusulas são o auxílio maquiagem para as aeroviárias, em razão que as empresas exigem um padrão e em média a trabalhadora gasta 10% de seu salário; garantia adequada de trabalho para aeroviária gestante; o direito ao auxílio creche para o pai aeroviário, hoje na CCT só a aeroviária tem esse benefício e o custeio no tratamento por parte da empresa em casos de acidente ou doença oriunda no trabalho.
 

""
Foto: Valdir Lopez/Mídia Consulte 

"Operação Trabalhe, Sem Exploração” e Assembleia Geral no dia 1/12

Os dirigentes  também mobilizarão os aeroviários para “Operação “Trabalhe sem Exploração” nos seus  turnos. Estão agendadas negociações com as empresas aéreas nos dias 24 e 30 de novembro. 

A FENTAC e os sindicatos filiados esperam que as empresas mudem a posição intransigente e negociem as pautas dos trabalhadores. 

Caso  não haja avanço nas negociações, os aeroviários poderão aprovar indicativo de greve geral na Assembleia Geral agendada no dia 1º de dezembro.

Aeronautas também aprovam “estado de greve”

Em assembleias realizadas na segunda-feira (21), em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Porto Alegre e Campinas, os pilotos, copilotos e comissários (as) também reprovaram a contraproposta apresentada pelas empresas aéreas para a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho da aviação regular para 2016/2017 e aprovaram “estado de greve” da categoria.
 

Clique aqui e acesse mais sobre a Campanha Salarial da FENTAC