Avianca entra na Star Alliance e deve ampliar oferta de voos no País

Companhia passa a contar com parceria de 27 empresas, como TAP e Lufthansa, para compartilhamento de voos e integração de programas de milhagem

408

A Avianca Brasil ingressou nesta quarta-feira (23) na aliança de empresas aéreas Star Alliance, completando uma vaga aberta no Brasil desde que a TAM saiu do grupo, em março de 2014. A companhia, que tem 9% de participação no setor aéreo brasileiro, conta com os passageiros das outras 27 empresas aéreas que integram a Star Alliance para encher seus aviões nos voos nacionais. Mesmo com a crise econômica, a empresa mantém seu plano de ampliar em 15% a oferta de passagens aéreas este ano.

Ao ingressar na aliança, a Avianca passa a ter como parceiras a portuguesa TAP, a alemã Lufthansa e americana United Airlines, entre outras empresas, que voam para 1.330 aeroportos em 190 países. Essas companhias poderão fazer acordos de compartilhamento de voos (code share) com a Avianca e integrar seus programas de milhagem. Os membros do programa Amigo, da Avianca Brasil, já podem resgatar passagens aéreas em voos das companhias da Star Alliance. E quem voar de Avianca poderá acumular milhas nas demais empresas.

“Assumimos o compromisso de distribuir os passageiros da Star Alliance no Brasil”, disse nesta quarta-feira o presidente da Avianca Brasil, José Efromovich, na cerimônia de ingresso da Avianca na aliança global. De acordo com ele, as novas parcerias com empresas estrangeiras foram importantes para a manutenção do plano da companhia de ampliar em 15% a oferta no Brasil este ano, mesmo em um cenário recessivo. O movimento vai na contramão do anúncio feito esta semana pela TAM, de reduzir em 10% sua oferta nacional.

A expansão da Avianca ocorrerá por meio da substituição dos aviões Fokker MK-28, mais conhecido como Fokker 100, por modelos A320, da Airbus. Os A320 tem 162 assentos, contra 100 dos aviões da Fokker. A empresa já substituiu cinco dos oito modelos Fokker que tinha no início do ano. O último avião deixará de voar em agosto.

Do Estadão