Guarulhos: Aeroviários no setor de rampa reprovam criação de Sindicato "fantasma"

A categoria rejeitou por unanimidade a divisão de base, reconhecendo apenas o Sindigru como seu legítimo representante

867

Pessoas totalmente desconhecidas dos trabalhadores da aviação convocaram uma assembleia nesta quinta-feira (9), em Guarulhos, com os aeroviários no setor de rampa, que trabalham no Aeroporto Internacional.

A intenção desse grupo, que publicou edital no Diário Oficial, era criar o Sindicato de Trabalhadores de Rampa em Aeroportos do Estado de São Paulo (Sindirampa), em local de extrema dificuldade para acesso dos trabalhadores.

Os intrusos não contavam com a organização da categoria aeroviária guarulhense, que compareceu em peso e rejeitou, por unanimidade, a divisão de base, reconhecendo apenas o Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos da CUT (Sindigru), como seu único representante legítimo.

“Esse Sindicato não está dentro da legalidade e, portanto, os aeroviários votaram contra a ratificação de sua criação. A nossa  resposta a este tipo de aventureiros foi bem clara: divisão aqui não”, disse o presidente do Sindigru, Rodrigo Maciel.

Também votaram contra a criação do Sindicato fantasma os aeroviários no Estado de São Paulo (Saesp), filiados à Força Sindical.

""