FENTAC e empresas aéreas debatem uma nova relação para discutir pautas dos trabalhadores

Sergio Dias, presidente da Federação,destacou que a recuperação do poder de compra nos salários é pauta prioritária nesse ano dos aeroviários e aeronautas

810

A discussão sobre pautas de interesse dos trabalhadores na aviação iniciou na quinta-feira (16) na primeira reunião bimestral do ano entre a FENTAC/CUT, os sindicatos filiados de aeroviários e aeronautas com o Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (SNEA), que representa as empresas aéreas, inclusive a LATAM, GOL, Avianca e Azul.

O encontro é assegurado em cláusula social nas Convenções Coletivas de Trabalho das categorias e tem o objetivo de debater demandas oriundas do mundo do trabalho dos profissionais da aviação. 

Nos últimos anos, a FENTAC e os sindicatos sempre pautaram nessas reuniões com as empresas a necessidade de incluir nas CCTs cláusulas que visem melhorar desde as condições de saúde, higiene e a vida social, citando como exemplo o aumento de folgas para tripulantes e aeroviários, além de melhores condições nos ambientes de trabalho.

Nova relação de diálogo 
Ronaldo Bento Trend, que assumiu a presidência do SNEA em 14 de outubro de 2016, ouviu dos dirigentes as frustrações nas últimas reuniões bimestrais passadas, nas quais praticamente terminavam sem avanços concretos nos direitos dos tripulantes (comissárias (os) e pilotos) e aeroviários (que trabalham em hangares, nas aéreas administrativas e em funções em solo, como no check-in, manutenção, mecânico, entre outras).

Trend disse que o SNEA quer inaugurar uma nova relação de “troca” com a FENTAC, por entender que esta deve ser pautada por um equilíbrio justo entre as partes.

O presidente da FENTAC, o aeronauta na Gol, Sergio Dias, concorda com  essa disposição de diálogo e disse que o SNEA pode fazer história novamente, citando o exemplo da assinatura da Convenção Coletiva de Trabalho no mês da data-base das categorias, que é em 1º de dezembro. Há muitos anos isso não acontecia, as discussões da Campanha Salarial sempre eram mediadas pela Justiça.

""

Recuperação do poder de compra nos salários

Dias disse  que, além das questões específicas de cada categoria que serão levadas às reuniões, a grande preocupação neste ano dos sindicatos é com a recuperação do poder de compra nos salários.
 
“Estamos vivendo um cenário de catástrofe, mas a aviação sempre tem apresentado um bom desempenho, graças à força de trabalho dos profissionais”, explica Sergio
Nos últimos quatro anos, enquanto o setor da aviação civil registrou crescimento de 33,9%, os ganhos reais frente ao INPC-IBGE não atingiram 1%.  Recuperar esse poder de compra, que se acumula desde o ano passado, é um reconhecimento ao esforço trabalho dos aeroviários e aeronautas no desempenho do setor, bem como significará uma melhoria na qualidade de vida desses profissionais. 

Selma Balbino, diretora da Federação e do Sindicato Nacional dos Aeroviários, disse que essa mudança de postura do SNEA é positiva e que retorna a esperança de que a relação capital e trabalho possa mudar. “A palavra chave é troca. Vejo com bastante satisfação para que possamos construir discussões produtivas, respeitando sabidamente cada lado”.

Homenagem a Gloria Brasil

O SNEA também comunicou a mudança na sua assessoria jurídica. A advogada, Gloria Brasil, que trabalhou muitos anos na entidade patronal, deixa a entidade, mas permanece na aviação, como assessora atualmente no SNETA (Sindicato Nacional das Empresas de Táxi Aéreo). A nova advogada no SNEA é a doutora Priscila da Rocha Lago. 

A FENTAC e os sindicatos filiados dos Aeronautas e aeroviários de  Guarulhos, Recife, Porto Alegre e o Nacional de Aeroviários desejaram boa sorte à Dra Priscila e manifestaram um enorme agradecimento ao trabalho e dedicação da doutora Glória, que é um exemplo de profissional porque sempre soube atuar nos lados opostos, com respeito, buscando a qualidade na negociação.

""

Priscila da Rocha Lago, Ronaldo Bento Trend e Gloria Brasil

Bagagem 

O Sindicato Nacional dos Aeronautas propôs ao SNEA a inclusão de uma cláusula na CCT de “proteção” para que não sejam cobradas as bagagens dos tripulantes, que estão a serviço da empresa. Os aeroviários também fizeram essa proposta.

Recentemente, a cobrança das bagagens, determinada em resolução da Agência Nacional da Aviação Civil (ANAC) está suspensa desde o dia 13 de março pela Justiça Federal de São Paulo.

Próxima reunião bimestral 
A próxima reunião entre a FENTAC e o SNEA deve acontecer na segunda quinzena de maio, com conhecimento prévio da pauta em até 10 dias úteis. A bancada patronal propôs os próximos encontros: 18 de julho e 5 de setembro, às 10h30, na sede do SNEA, no Ibirapuera.