Brasília: FENTAC se reúne com vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho

Na ocasião, Ministro Emmanoel Pereira elogiou o diálogo da Federação com o SNEA na negociação da Campanha Salarial dos Aeroviários e Aeronautas 2016/2017

371

Os presidentes da FENTAC/CUT, Sergio Dias, e do Sindicato Nacional dos Aeronautas, Rodrigo Spader, se reuniram nesta quarta-feira (7) com o vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), o Ministro Emmanoel Pereira, em Brasília.

Também participaram os presidentes do Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (SNEA), Ronaldo Bento Trad, e da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), Eduardo Sanovicz. Assessorias jurídicas dos trabalhadores e das empresas acompanharam a reunião.

Na ocasião, o presidente da Federação, Sergio Dias, falou ao Ministro que neste ano os trabalhadores da aviação civil receberão o pagamento dos reajustes nos salários e benefícios conquistados na Campanha Salarial 2016/2017 no mês da data-base, 1º de dezembro — fato que não ocorria há muitos anos — e ainda terão garantidos todos os direitos históricos conquistados nas Convenções Coletivas de Trabalho. "Nossa Campanha foi vitoriosa.  A vontade dos trabalhadores de encerrar as discussões na data-base, que foi aprovada em assembleias, foi respeitada", conta Dias.

Emmanoel Pereira elogiou o diálogo entre a FENTAC e o Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (SNEA) e ficou satisfeito que as partes tenham chegado a um consenso. 

Assinatura das CCTs

A FENTAC e os sindicatos filiados dos aeroviários de Guarulhos, Recife, Porto Alegre e os de base Nacional dos Aeroviários e Aeronautas vão assinar a renovação das Convenções Coletivas de Trabalho 2016/2017 nos próximos dias com o SNEA.

Os reajustes nos salários, pisos e em todos os benefícios  pagos no final deste mês e beneficiarão cerca de 70 mil trabalhadores da aviação civil regular.

O índice aprovado pelos aeronautas e aeroviários é a reposição integral da inflação, que é calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), medido pelo IBGE. O Banco Central divulgará nesta semana o acumulado dos 12 meses.