"Nós, do transporte aéreo, temos o poder de parar o País. Estamos à disposição da CNTTL nas lutas contra o PL 4330", disse Paulo Rodolfo

O diretor do Sindicato dos Aeroviários de Porto Alegre representou o presidente da FENTAC, Sérgio Dias, na abertura do Congresso que aconteceu no domingo (26)

320

A homenagem ao saudoso dirigente rodoviário da Bahia e liderança do ramo dos transportes, Daladier  Nunes de Alencar, falecido em 2014, e o enfrentamento ao nefasto Projeto de Lei 4330 foram os principais temas que marcaram  a abertura do 1º Congresso  da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logística da CUT (CNTTL/CUT), que aconteceu na noite de domingo (26), no Clube de Campo dos Rodoviários de Sorocaba, em Votorantim/SP.
O Congresso reúne 150 dirigentes dos modais dos transportes rodoviário, ferroviário, metroviário, moto-táxi, portuário, fluvial, viário, aéreo e do setor de cargas de todo o País.  O Congresso termina na quarta-feira (29).

O presidente da Federação Nacional dos Portuários (FNP/CUT) e dirigente da executiva nacional da CUT, Eduardo Lírio Guterra, disse que é fundamental fazer uma aliança com todos os setores para discutir e fortalecer o ramo dos transportes da CUT. “Todos sabemos a importância do transporte no Brasil e no mundo, que tem papel estratégico. O governo Dilma anunciou pacote de R$ 150 bilhões em investimentos em transportes e é inadmissível não ter nos chamado. Temos que aprovar aqui no nosso Congresso uma carta à presidenta exigindo que nós também sejamos ouvidos”, frisa.

O presidente nacional da CUT, Vagner Freitas, concorda e destacou que os trabalhadores em transportes estão no centro da conjuntura do Brasil no enfrentamento ao PL 4330. “Não é uma discussão de terceirização, os deputados (a maioria ligada aos patrões) querem é rasgar a CLT. Ao acabar com a responsabilidade jurídica, eles  vão diminuir o custo da mão de obra e, com isso, reduzirão  direitos e acabarão com os sindicatos”, alerta.

""
Foto: João Batistella

O presidente da CUT reforçou que os deputados sabem que o movimento sindical organizado pode vencê-los e convocou os trabalhadores em transportes para somar a uma paralisação nacional contra o PL em defesa dos direitos e empregos.  

Ele propôs que no dia que tiver votação no Senado a ideia é mobilizar 100 mil trabalhadores em Brasília e construir um processo de greve geral. “Vamos pedir Veta Dilma!Mas para que a presidenta Dilma vete é fundamental que estejamos organizados”.
Na terça-feira (28), Vagner se reunirá com o presidente do Senado, Renan Calheiros, que adiantou em entrevistas à imprensa que este PL não passa no Senado.

Carro-chefe
O presidente da CNTTL/CUT, Paulo João Estausia, o Paulinho, disse que os trabalhadores em transportes atenderão ao chamado da CUT para defender os direitos da classe trabalhadora. “O ramo dos transportes é o carro-chefe nesta luta. Somente a CUT tem essa capacidade de mobilizar e se precisar vamos parar e usar todos os meios necessários. Não podemos permitir esse PL tão agressivo aos trabalhadores”, explica.

Paulinho  relembrou as principais lutas da Confederação, destacando a agenda permanente de negociação com o governo e o setor de cargas. “Nunca antes na história deste País, os caminhoneiros avançaram com o governo. Hoje, vivemos um embate com os embarcadores (patrões dos autônomos) que exigem uma tabela de frete obrigatória, e o governo propôs uma tabela mínima referencial, que foi aceita pelos caminhoneiros”.

O presidente da CNTTL criticou esse “grupo rebelde” (formado pelos embarcadores)  que não querem avançar no diálogo, mas dificultá-lo.

O dirigente também falou sobre o ataque aos direitos pela empresa Coca-Cola Refrescos, em Sorocaba, que demitiu de 217 trabalhadores e o Sindicato luta na Justiça para recontratá-los. “Peço a todos presentes aqui no nosso Congresso que ajudem essas famílias. Na próxima semana, faremos doação de mantimentos para eles que estão há 60 dias acampados na empresa”, relembra. 

""
Foto: João Batistella

Lideranças dos transportes
Lideranças dos modais do setor aéreo, moto-táxi,  ferroviário e do setor de cargas também fizeram saudações na abertura do 1º Congresso da CNTTL. A diretora da Secretaria da Mulher da Confederação e do Sindicato Nacional dos Aeroportuários (SINA), Mara Meiry Tavares, enalteceu a participação das mulheres do transportes. “Para mim é um orgulho. Nós não estamos disputando espaço, o nosso propósito é somar com os homens”.

O presidente do Sindicato dos Caminhoneiros Autônomos da Região Metropolitana de Campinas e da Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Cargas, Benedito Pantalhão, fez um resgate da luta dos caminhoneiros no Brasil. “Somente em 2007 saímos da clandestinidade e, graças à  Lei 11.442, nos tornamos motoristas no Brasil. Viemos para cá para  somar com vocês. Só existe uma diferença entre nós: os  caminhoneiros empregados têm carteira de trabalho e nós autônomos, carnê para pagar”.

O vereador de Sorocaba e presidente da Federação Estadual dos Trabalhadores em Transportes Terrestres, Francisco França, parabenizou os trabalhadores em transportes que estão cada vez mais se organizando. “Essa união é fundamental neste momento de ataque violento ao governo e aos direitos”.

Pedro Mourão, presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores em Moto-táxi, falou sobre o reconhecimento da categoria em 2009 e a importância da filiação à CUT, em 2005.  “Queremos neste Congresso debater a realidade e discutir propostas para a nossa categoria”.

O diretor do Sindicato dos Aeroviários de Porto Alegre, Paulo Rodolfo — que  representou o presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil da CUT  Sergio Dias — disse que a aviação cresceu muito nos últimos 12 anos, principalmente, com o aumento do número de passageiros, que passaram de 30 milhões para 100 milhões, e falou que o transporte aéreo  pode parar o País e está à disposição da CNTTL para colaborar nas lutas.  

O presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores Ferroviários, Jerônimo Miranda Neto, destacou que a Confederação tem que continuar mobilizando sempre. “Nós temos que dar importância para o que somos”, finaliza.

Programação
Os trabalhos do 1º Congresso da CNTTL/CUT iniciam nesta segunda-feira (27) com os debates sobre os balanços sobre a atuação dos modais. Acompanhe na CNTTL a cobertura dos principais momentos.

 

Viviane Barbosa, Assessora de Imprensa e Comunicação da FENTAC/CUT