Campanha Salarial: Aeronautas e aeroviários farão greve/protestos no dia 22 de janeiro nos aeroportos do Brasil

    Os trabalhadores rejeitaram em assembleias o reajuste salarial de 6,5% feito pelas aéreas

    317

    Os aeronautas e aeroviários da base da Federação Nacional dos Trabalhadores em Transporte da CUT (FENTAC) realizarão paralisações e protestos no próximo dia 22 de janeiro (quinta-feira) em todos os aeroportos do País. A greve está prevista para acontecer das 6h às 7h da manhã e poderá ser por tempo indeterminado.

    As categorias rejeitaram por unanimidade em assembleias realizadas nesta quarta-feira (14) a proposta de reajuste salarial de 6,5%, ou seja, apenas 0,16% de aumento real oferecida pelo Sindicato Nacional das Empresas Aérea (SNEA), na última rodada de negociação da Campanha Salarial com a FENTAC– ocorrida na segunda-feira (12).

    Os aeronautas também aprovaram a flexibilização da reivindicação de 9% de aumento nos salários e benefícios para 8,5%. A maioria dos aeroviários também aprovou o mesmo índice. No entanto, o Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA/CUT), que representa a categoria em 22 estados, termina suas assembleias nesta quinta-feira (15).

    As categorias reivindicam melhores condições de trabalho, bem como escalas que gerenciem a fadiga da tripulação e garantam a segurança de voo de todos.

    Segundo o presidente da FENTAC/CUT, Sergio Dias, a nova reivindicação de 8,5% é uma forma de demonstrar boa vontade das categorias na negociação. “Está nas mãos das empresas aéreas evitar o potencial caos aéreo no dia 22 de janeiro no Brasil”, alerta Dias.

    A greve dos trabalhadores na aviação civil poderá ser prorrogada, caso as empresas aéreas não apresentem uma nova contraproposta salarial.

    Uma nova rodada de negociação entre a FENTAC e o SNEA acontecerá na sexta-feira (16), às 14h30, na subsede do SNA, em São Paulo.  

    Ofício de greve

    Os sindicatos filiados à Federação irão protocolar a partir desta quinta-feira (15), os ofícios de greve para as empresas aéreas Gol, Azul, TAM e Avianca. O direito à greve é assegurado pela Lei (7.783/89), que permite aos trabalhadores a suspensão coletiva, temporária e pacífica, total ou parcial, de prestação pessoal de serviços a empregador.

    Boletim aos trabalhadores

    Os dirigentes estão distribuindo boletins aos trabalhadores nos aeroportos para esclarecer sobre o direito à greve e informar como será realizada a mobilização do dia 22 de janeiro.

    Informe aos passageiros em rede nacional

    Pensando no bem-estar dos usuários do transporte aéreo, o Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA/CUT), que representa os pilotos, copilotos e comissários de voo, veicula a partir desta quinta-feira (15), nos principais meios de comunicação do País um informe publicitário sobre os motivos da greve, alertando aos passageiros para que não comprem passagens para o dia 22 de janeiro, das 6h às 7h da manhã, e, que se possível, antecipem suas viagens. “As categorias contam com o apoio da sociedade e com o bom senso das empresas aéreas para que transtornos sejam evitados”, destaca a nota ao público.

    Em Campanha

    A data-base das categorias é 1º de dezembro e estão em campanha cerca de 70 mil aeronautas e aeroviários em todo o País. A base da Federação é representada pelo Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA/CUT), pelos Sindicatos regionais dos Aeroviários de Guarulhos, Porto Alegre, Campinas, Recife e pelo Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA/CUT), que representa 22 estados.

    Vanessa Barboza e Viviane Barbosa da Redação FENTAC