CARTA À ANAC – EM DEFESA À VIDAS

ITF faz apelo à ANAC por fiscalização às medidas de segurança

84

No último 13 de outubro, Edgar Diaz, Secretário Regional da ITF (Federação Internacional dos Trabalhadores em Transportes) a maior autoridade líder em transportes no mundo, enviou uma carta ao diretor nacional da ANAC, seu José Ricardo Pataro Botelho de Queiroz.

No documento, trata de uma reivindicação realizada pelo SINDIGRU (Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos), que apela desde de 2019 pela manutenção das aeronaves e pela realização de procedimentos de segurança realizados em solo durante o embarque e desembarque, diante da ausência de fiscalização e descumprimento destes procedimentos, no Aeroporto Internacional de Guarulhos.

A grave denúncia foi realizada por profissionais técnicos e anuncia uma tragédia, em caso da ausência de medidas incisivas de fiscalização não sejam tomadas, o que já deveria ter sido feito, diante da gravidade da solicitação.

Na carta, cobra responsabilidades da ANAC como órgão responsável, por regular o transporte aéreo no país, por ações de fiscalização a fim de proteger a vida não apenas de passageiras e passageiros, mas também para salvaguardar a saúde de trabalhadoras e trabalhadores do setor.

É inadmissível que o órgão responsável pela fiscalização mantenha-se impassível diante de uma denúncia tão grave, o SINDIGRU e a ITF com a responsabilidade que os cabem, apelam para que sejam tomados cuidados para assegurar a passageiros e trabalhadores a segurança estabelecida conforme as normas internacionais.

Cabe ainda salientar, que a fiscalização deve ocorrer a nível nacional e que todos os sindicatos filiados à FENTAC estão atentos e em estado de alerta para poder sempre defender nossa categoria em momentos de necessidade.

Vale também ressaltar a importante atuação do SINDIGRU, que além de denunciar as empresas vem atuando combativamente em uma frente ampla de defesa de seus trabalhadores, neste momento importante de Pandemia, de investidas patronais e exploração das empresas aéreas.