Comissão Paritária Aeroviários: Audiência no TST entre FENTAC e SNEA termina sem acordo

Debate sobre criação de piso de check-in deverá ser retomado na próxima data base da categoria

363

Terminou sem acordo a audiência realizada no Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília, nesta quinta-feira (25), entre a FENTAC  e o Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (SNEA). Na ocasião,  foi discutido os desdobramentos das reuniões da Comissão Paritária dos aeroviários, que visava a criação de um piso para os trabalhadores do check-in e as definições da função.

Segundo o diretor da Federação e presidente do Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos (Sindigru/CUT), Orisson Melo, as empresas  queriam aplicar um valor de piso abaixo da expectativa e a bancada dos trabalhadores entendeu que dessa forma  não há acordo. “O  Ministro do TST, Ives Gandra Filho,  propôs que a partir de 1º dezembro, que é a nossa data base, retomemos a discussão sobre essa importante reivindicação”, conta Melo.

A FENTAC reivindica a criação de um piso para o trabalhador do check-in no valor de R$ 1.400 e que as empresas caracterizem as suas funções. Hoje, segundo levantamento preliminar do Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA), os trabalhadores no check-in  recebem em média, depende da região, de R$ 990 (TAM-Navegantes) a R$ 1.735,00 (Gol-Guarulhos após dois anos na função).

Comissão Paritária dos Aeroviários

A Comissão Paritária dos Aeroviários foi proposta pelo TST como um encaminhamento das reivindicações dos trabalhadores na Campanha Salarial 2014/2015.  Foram realizadas três reuniões, sendo a última em 9 de abril de 2015. Nenhuma teve avanço, em razão da postura intransigente das empresas aéreas.

Vanessa Barboza, da Redação FENTAC com a colaboração de Beatriz Chaves