FENTAC e sindicatos de aeroviários denunciam prática antissindical da Tri-Star de Guarulhos por demitir cipeiro e dirigentes do SINTAAG/CUT

    Para a Federação, a atitude da empresa é um ato de extrema violência contra a livre organização dos trabalhadores, constituindo-se em crime repudiado por leis nacionais e internacionais

    337

    A Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil da CUT (FENTAC) e os sindicatos filiados dos Aeroviários de Campinas, Guarulhos, Recife, Porto Alegre e Nacional denunciam a empresa do setor aéreo Tri-Star no Aeroporto Internacional de Guarulhos por prática antissindical.

    A empresa demitiu na semana passada de forma arbitrária e ilegal o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Auxiliares de Guarulhos (SINTAAG), filiado à CUT, Jorge Antonio Dardis, o dirigente, José Aparecido Ramos Barbosa e o cipeiro, Manuel Messias, todos em pleno exercício de seus mandatos.

    Para a FENTAC, a atitude da Tri-Star é um ato de extrema violência contra a livre organização dos trabalhadores, constituindo-se em crime repudiado por leis nacionais e internacionais. Além disso, houve um grave desrespeito às convenções da Organização Internacional do Trabalho (OIT), como a 87, que diz respeito à Liberdade e Proteção ao Direito Sindical. A ação arbitrária da empresa também fere a Convenção 158 da OIT que proíbe a dispensa imotivada.

    Diante disso, a Federação e os Sindicatos reforçam que o movimento sindical cutista não dará trégua até que os trabalhadores demitidos sejam reintegrados às suas funções e mandatos. 

    A Subsede da CUT em Guarulhos e a CUT Estadual de São Paulo também manifestam repúdio às demissões arbitrárias da Tristar e se somam à luta da FENTAC em defesa da readmissão imediata desses companheiros. 

    Direção da FENTAC/CUT