Montreal: FENTAC e SNA participam de debate sobre abertura do transporte aéreo internacional

O comandante Osvaldo Neto e vice-presidente da Ifalpa está representando as entidades

383

A FENTAC e Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), representados pelo comandante Osvaldo Neto, também vice-presidente executivo da Federação Internacional das Associações de Pilotos (Ifalpa), participam de reunião do grupo Air Transport Regulation Panel, organizado pela Icao (Organização da Aviação Civil Internacional). A atividade acontece em Montreal, no Canadá.

Debate mais amplo

Na terça-feira (1º),  a FENTAC, o SNA, a Fespla e a Ifalpa, além da Federação Internacional dos Trabalhadores em Transportes (ITF) e de sindicatos de pilotos como a Apla (Argentina), representada por Daniel Bianco, voltaram a rechaçar o projeto da Icao sobre liberação do transporte aéreo internacional, prática denominada como Bandeira de Conveniência.

É consenso entre as partes citadas que é necessário um debate mais amplo em diversos âmbitos e estudos que analisem os riscos e os impactos desse tipo de abertura, garantindo proteções claras aos trabalhadores e ao mercado de aviação regional nos diferentes países.

A proposta de Acordo Multilateral de Serviços Aéreos que está sendo discutida em Montreal tem objetivo de liberalizar totalmente o aceso a mercados de transporte aéreo internacional de passageiros e carga, permitindo total abertura do limite de capital estrangeiro e controle das companhias aéreas.

A Federação e o SNA continuarão trabalhando para que os aeronautas de hoje e das próximas gerações não sejam prejudicados por um projeto que abre espaço para a precarização das condições de trabalho dos tripulantes, diminuição de postos de trabalho, diminuição das garantias aos passageiros — e que além de tudo põe em risco os mercados locais de aviação.

Em nome da soberania nacional e da preservação de um mercado estratégico para o Brasil, assim como da preservação das economias dos países vizinhos e de seus próprios mercados de aviação, o a FENTAC e o SNA se posicionam contrário às propostas da Icao.

Leia também: Sergio Dias: “Abertura do capital aéreo poderá gerar desemprego no setor” 

Com SNA