Porto Alegre: Contra falta de segurança, trabalhadores em aviação civil fazem protesto no Salgado Filho

Categoria reivindicou mais policiamento nos arredores do terminal e estacionamento gratuito para os funcionários

318

Contra a falta de segurança nos arredores do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, aeronautas, aeroviários e aeroportuários fizeram um protesto na manhã desta quinta-feira (16), no saguão do Terminal 1.

O movimento foi organizado pelo Sindicato dos Aeroviários de Porto Alegre e teve apoio da Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil da CUT (FENTAC), do Sindicato Nacional dos Aeroportuários (Sina) e do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA).

A manifestação ocorre após o assassinato de uma funcionária terceirizada da Infraero Mineia Sant Anna Machado, 39 anos, sequestrada na última sexta (10), e encontrada morta na segunda (13). A vítima, que saiu do aeroporto às 2h da manhã, foi atacada a golpes de chave de fenda após deixar o carro fora do estacionamento do aeroporto. Ela trabalhava há 18 anos no terminal.

Estacionamento

Os trabalhadores na aviação civil também exigiram  da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), que administra o Aeroporto, o direito ao acesso gratuito ao estacionamento privado.

""

"Há anos reivindicamos o direito de todos os funcionários utilizarem o estacionamento privado, mas a Infraero tem alegado que é para uso do passageiro", explica o diretor da FENTAC e do Sindicato dos Aeroviários de POA, Celso Klafke.

A Infraero informou que vai avaliar a questão do estacionamento dos funcionários junto com a empresa que administra o prédio.