Táxi Aéreo: Aeronautas reprovam proposta do TST

Categoria pretende paralisar as atividades

354

Em assembleias realizadas  na quarta-feira (12) em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Macaé, Cabo Frio e Jacarepaguá, os aeronautas do  Táxi Aéreo decidiram, de forma unânime, rejeitar a proposta de acordo formulada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) para a renovação da Convenção coletiva de Trabalho (CCT) da categoria.

De acordo com o Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), também ficou decidido que uma nova assembleia será convocada para a data provável de 18 de agosto para deliberar sobre uma possível paralisação.

Em nota, o SNA disse que irá repassar a decisão da categoria pela rejeição ao TST e que em breve vai comunicar em todos seus meios a convocação da nova assembleia.

Entenda o caso

Diante do impasse nas negociações com as empresas, que de forma intransigente ofereciam 0% de reajuste salarial, mesmo após diversos encontros realizados, a FENTAC  e o Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) solicitaram uma mediação do TST.

Desta forma, o vice-presidente do TST, ministro Ives Gandra Martins Filho, formulou proposta com os seguintes pontos: Reajuste linear de 3,17% sobre salários de dezembro de 2014, aplicado retroativamente a 1º de julho de 2015; Reajuste pelo INPC integral dos demais benefícios previstos nas cláusulas econômicas das CCTs, retroativo a 1º de dezembro de 2014; Abono salarial no valor de R$ 1.800,00 para os aeronautas, pago em duas parcelas nos meses de setembro e novembro de 2015; Garantia de acomodações individuais, independentemente do valor das diárias; Normas para o caso de necessidade de redução da força de trabalho.

Redação FENTAC com SNA