Guarulhos: Após promessa de melhorias, aeroviários na TAM retornam ao trabalho

    Companhia terá o prazo de 10 dias para apresentar um plano de ação que contemple as reivindicações da categoria

    393

    Após paralisação de cerca de 200 trabalhadores de vários setores (agente de rampa, check-in entre outros) da TAM no Aeroporto Internacional de Guarulhos (GRU Airport) no início da manhã desta quarta-feira (1º), a companhia chamou a categoria para conversar. O movimento grevista foi organizado pelo Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos (Sindigru/CUT).

    Os trabalhadores elegeram uma Comissão, formada por quatro funcionários que junto ao Sindicato, iniciaram o diálogo com a empresa sobre o pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR), assegurada em Lei, além das reivindicações por melhores condições de trabalho e combate ao assédio moral.

    Reunião e prazo

    Agora à tarde, a Comissão, o Sindigru e a TAM iniciaram a negociação. Os trabalhadores estabeleceram como prioridade o combate ao assédio moral e cobraram melhores condições de trabalho.

    Em relação à PLR, ficou definido que a TAM trabalhará uma nova proposta de metas que seja possível de se atingir. Também ficou acertado que a companhia terá 10 dias para apresentar um plano de ação aos trabalhadores.

    Segundo o presidente do Sindicato, Orisson Melo, se não houver um posicionamento da empresa após esse prazo, haverá nova paralisação. “Esperamos que a TAM cumpra a sua parte. Caso o contrário, daremos a nossa resposta”.

    Mediante ao acordo, os trabalhadores do turno da tarde no Aeroporto estão trabalhando normalmente.

    Repercussão na imprensa

    Os principais meios de comunicação do País deram visibilidade à luta dos trabalhadores na TAM no Aeroporto de Guarulhos. 

    Redação FENTAC