Guarulhos: Sindigru e moradores cobram de Alckmin canalização do Rio Baquirivu-Guaçu

A luta por melhorias não é nova. Após vários protestos do Sindigru e Sintaag, a principal ponte de acesso ao aeroporto foi aberta

328

Dirigentes do Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos participaram, no dia (27), de audiência pública, organizada  pelo deputado estadual Alencar Santana (PT/GRU), que debateu o projeto de canalização do Rio Baquirivu-Guaçu – que fica na divisa entre Guarulhos e Arujá, e dá acesso ao Aeroporto Internacional.

O encontro, realizado no Centro Educacional Unificado (CEU) Presidente Dutra, reuniu também moradores, trabalhadores do aeroporto e representantes do Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE) e da Prefeitura Municipal.

Na ocasião, foram debatidas alternativas para ajudar a população da região na luta contra as enchentes, bem como melhorar o acesso ao trabalho dos trabalhadores do setor aéreo.

De acordo com o presidente do Sindicato, Rodrigo Maciel, o presidente do DAEE, Ricardo Borsare, ficou de encaminhar todas as reivindicações para o governador Geraldo Alckmin (PSDB). “Vamos também construir uma agenda de trabalho com o deputado estadual Alencar Santana (PT), na assembleia legislativa, para juntos, construirmos uma alternativa, se for o caso”, explica Maciel.

Promessa não cumprida
A canalização já era para ter saído do papel. Foi aprovada a Lei 14.790, de 25 de maio de 2012, que destina uma verba da ordem de R$ 800 milhões para o Projeto Baquirivu, mas até agora o governo tucano não investiu o dinheiro e ainda os recursos correm o risco de serem aplicados em outro município.

Histórico de lutas
A luta em defesa de melhorias no Rio  Baquirivu-Guaçu não é nova.  Desde 2014, o Sindigru, em parceria com o Sintaag (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Auxiliares de Guarulhos) realizaram mobilizações e participaram de audiências públicas para exigir o direito de ir e vir dos trabalhadores do setor aéreo ao Aeroporto Internacional.

Naquela ocasião, o principal problema foi o fechamento da ponte, principal via de acesso ao Aeroporto, e o local se tornou perigoso, em razão do aumento de assaltos e até denúncias de estupros.

A passagem foi fechada pela GRU Airport em novembro de 2013, que  se comprometeu em reabri-la após a Copa do Mundo (junho/julho de 2014), mas isso não aconteceu.

Após vários protestos, audiências públicas e de ofícios encaminhados pelo
Sindigru e Sintaag aos órgão competentes (Prefeitura de Guarulhos, Ministérios Públicos do Trabalho e Federal; Secretaria da Aviação Civil da Presidência da República, Agência Nacional da Aviação Civil), finalmente a ponte foi reaberta pela GRU Airport em outubro de 2015.

No entanto, o acesso só foi liberado para os pedestres, não atendendo a reivindicação dos trabalhadores de liberação para acesso de carro ou moto para chegar ao Aeroporto.