Campanha Salarial: FENTAC/CUT e SNEA voltam a negociar no dia 27 em São Paulo

    Após pressão dos trabalhadores no TST, empresas saíram do “reajuste zero” . Para o presidente da Federação,Sergio Dias, aéreas podem avançar mais

    319

    A negociação da Campanha Salarial dos Aeronautas e Aeroviários, representados pela Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil da CUT (FENTAC), com o Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (SNEA), que representa as companhias TAM, Gol, Avianca e Azul, continua nesta quarta-feira (27), às 14h30, na sede da entidade patronal, em São Paulo.

    Após seis horas de negociação tensa e pressão da bancada dos trabalhadores, ocorrida na sexta-feira (22) no Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília, as empresas evoluíram na pauta salarial e saíram do “reajuste zero” e apresentaram 11% de reajuste (valor arredondado do INPC da data-base das categorias, 1º dezembro, que fechou em 10,97%),  que seria pago em duas vezes. A audiência foi mediada pelo vice-presidente do TST, Ministro Ives Gandra da Silva Martins Filho.

    Outros pontos apresentados pela bancada patronal, que assim como o reajuste nos salários também serão debatidos na próxima rodada, são o aumento de 11% retroativos à data-base, 1º de dezembro, nos demais itens econômicos.

    O pagamento de um auxílio funeral para os aeroviários e o fim da “limitação” no passe-livre para os comissários, pilotos e co-pilotos – hoje a Convenção Coletiva de Trabalho só autoriza apenas cinco vagas para embarque nas aeronaves destes tripulantes —  são outras cláusulas compensatórias propostas pelas empresas que serão avaliadas na próxima rodada.

    Avançar mais
    Para o presidente da FENTAC, Sergio Dias, o entendimento das empresas em repassar às categorias a reposição da inflação nos salários é importante, mas ainda não é o suficiente. “O INPC é o mínimo que as categorias esperavam. Acredito que na próxima reunião possamos avançar mais, incluindo cláusulas compensatórias que atendam às realidades dos aeronautas e aeroviários”, explica.

    Reivindicações

    As categorias reivindicam reajuste salarial de 12% (10,97% de reposição da inflação da data-base, 1º de dezembro, e 0,93% de aumento real), aumento de 15% nos pisos salariais e demais benefícios econômicos e 20% na cesta básica.

    A data-base das categorias venceu em 1º de dezembro de 2015 e estão em Campanha na base da FENTAC 70 mil trabalhadores na aviação civil regular.