História da CUT e as principais lutas dos trabalhadores na aviação são destaques do Curso de Formação

Sérgio Dias, presidente da FENTAC, destaca que é importante "gerar maior conscientização política nos jovens"

367

Para ampliar o conhecimento dos dirigentes participantes do 1º Curso de Formação Sindical da FENTAC, realizado de 5 a 7 de maio, em Cajamar, foi elaborada uma linha do tempo com as principais lutas da CUT ao longo dos 32 anos de atuação da Central sindical brasileira, a maior do Brasil e a quinta maior do mundo.

Em relação ao setor aéreo, dirigentes mais experientes destacaram episódios que marcaram a história sindical da categoria. Entre eles, as mobilizações da década de 1980, no período pós-ditadura, que mostrou à classe patronal a unidade dos trabalhadores.

A década de 2000 é considerada um período obscuro para aviação por conta do fechamento de várias companhias aéreas como a Varig, Vasp e Transbrasil, que resultou na redução de salários e aumento da rotatividade no setor.

No entanto, em 2003, o cenário político do País avançou positivamente, gerando a ascensão das classes mais pobres, estabilidade econômica e a elevação do piso salarial de várias categorias.

Em 2010, com a abertura do mercado aéreo, as empresas nacionais deixam de ser fortes no mercado interno. Outra política que causa preocupação é a do céus abertos, que prevê a precarização da mão de obra, permitindo que as empresas contratem trabalhadores de países estrangeiros por um valor bem inferior.  “O desafio das três categorias é pressionar o governo a minimizar os impactos dessas ações”, frisa o presidente da FENTAC, Sergio Dias.

Sindicalização

No ponto de vista de sindicalização, na última década não houve muita adesão dos trabalhadores mais jovens, o que mostra a necessidade de ter uma maior conscientização dessa camada. “Com exceção do Sindicato Nacional dos Aeronautas, que conseguiu aumentar expressivamente seu número de filiados,temos que fazer um trabalho de base mais intenso para gerar maior conscientização política nos mais jovens”, destaca Dias.

PL 4330

Os participaram destacaram que o combate ao PL 4330/04, que regulamenta a terceirização da atividade fim no mercado de trabalho no Brasil, é uma das principais bandeiras de luta.  O Projeto de Lei foi aprovado pela Câmara dos Deputados e agora segue para votação no Senado.

O PL não melhora as condições dos cerca de 12,7 milhões de terceirizados (26,8% do mercado de trabalho) e ainda amplia a possibilidade de estender esse modelo para a atividade-fim, a principal da empresa, o que é proibido no Brasil pela Súmula 331 do Tribunal Superior do Trabalho.

Curso de Formação da FENTAC

Este é o primeiro curso de Formação Sindical da FENTAC, promovido pela CUT e o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A atividade aconteceu no Instituto Cajamar, em Cajamar (SP) e terminou na quinta-feira (7). Participaram dirigentes sindicais aeronautas, aeroviários e aeroportuários de todo o País. 

Vanessa Barboza, Redação FENTAC