"Nossa capacidade de ação precisa ser sempre efetiva e combativa”, diz Diogo

Secretário de Formação da FENTAC e a educadora da CUT, Ana Paula, abordaram práticas antissindicais no 1º Curso de Formação Sindical da FENTAC

289

Com a exibição de um trecho do filme brasileiro “Quanto vale ou é por quilo?”, dirigido por Sergio Bianchi, foi iniciada na parte da tarde o Curso de Formação Sindical da FENTAC na terça-feira (5).

Após a exibição, os dirigentes fizeram um debate sobre os principais pontos do filme, que traz à tona a reflexão sobre desigualdade social, racial e de gênero.

Com o entendimento da temática, os participantes formaram grupos para realização de uma dinâmica com o objetivo de associar as questões apontadas no filme ao local de trabalho, que é alvo constante de práticas antissindicais e irregularidades trabalhistas.

Entre os pontos diagnosticados pelos grupos estão o assédio moral, o machismo, o desrespeito das  cotas para deficientes, imposição de padrões de beleza, desigualdade racial e de salários. Outra questão apontada é a omissão por parte das empresas em relação aos acidentes de trabalho. 

A palestrante do curso e educadora da Secretaria de Formação Sindical da CUT, Ana Paula Melli, apontou que a consequência desse cenário de irregulares é histórica,  entre diversos fatores, decorrente da nossa herança colonial, que não foi extinta nas relações de trabalho.

O Secretário de Formação da FENTAC, Diogo Almeida, concorda e  destaca que para que isso mude, é preciso que a sociedade deixe de ser omissa e conversadora. "Os meios de comunicação fazem uma leitura da sociedade sob a ótica das classes dominantes. Por conta desse cenário, os sindicatos assumem um papel importante, que é de conscientização das bases. Nossa capacidade de ação precisa ser sempre efetiva e combativa”, frisa o sindicalista.

Curso de Formação da FENTAC

Este é o primeiro curso de Formação Sindical da FENTAC, promovido pela CUT e o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A atividade aconteceu no Instituto Cajamar, em Cajamar (SP), de 5 a 7 de maio. Participaram dirigentes sindicais aeronautas, aeroviários e aeroportuários de todo o País. 
 

Vanessa Barboza, Redação FENTAC