Porto Alegre: Com relógio de ponto quebrado, aeroviários na Gol trabalham sob pressão

Sindicato tem acompanhado a situação de perto

372

O relógio de ponto dos trabalhadores na Gol, em Porto Alegre, está há cerca de um mês quebrado. A denúncia é do Sindicato dos Aeroviários de Porto Alegre.

Diante disso, a incerteza sobre horas extras e a pressão dos superiores tem aumentado. “Um clima de assédio moral ameaça cada vez mais os trabalhadores”, relata a direção do Sindicato.

Manual

Ainda há o agravante do "Manual de Conduta da Gol", que tem se tornado um instrumento de pressão para os aeroviários

Segundo o Sindicato, os trabalhadores são obrigados a bater seus pontos e continuar trabalhando, pois está previsto nesse manual que é obrigatório cumprir todas as tarefas do dia, mesmo que essas excedam o horário de trabalho, não considerando o tempo além do expediente como horas extras.

O Sindicato está de olho e tomará, se necessário, medidas cabíveis