Acidentes aéreos no Brasil caem 15% em 2014

País registrou 136 ocorrências no ano passado

340

O número de acidentes aéreos no Brasil caiu 14,5% em 2014, se comparado a 2013, segundo dados do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) compilados com exclusividade para o iG. No ano passado, o País registrou 136 ocorrências. Em 2013, foram 159.

O número de mortos nesses acidentes também caiu: foram 27 no ano passado contra 29 em 2013. O índice é o menor em quatro anos, de acordo com o órgão.

"Houve uma média de 2,3 fatalidades para cada uma das 27 ocorrências. Esse número é quase todo de acidentes que acontecerem com aeronaves menores, com capacidade para poucos passageiros. Em mais de 35% das ocorrências, estavam a bordo somente pilotos", detalha Raquel de Almeida Iber, gerente de pesquisas e análise de tendências da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Em relação às causas, a especialista explica que normalmente há mais de um fator que contribui para as ocorrências. "Nos últimos dez anos, por exemplo, cerca de 15% dos acidentes tiveram como principal causa o julgamento de pilotagem". O termo se refere a decisões tomadas pelo piloto.

A redução de acidentes ocorre em meio a um cenário onde o número de aeronaves em movimento só aumenta. Em 2014, o setor cresceu 5,2%, indicou o Decolagem Certa (DCERTA), sistema que acompanha e verificação a regularidade de certificados e licenças de aeronaves. 

O Brasil também se manteve abaixo da média em número de acidentes fatais na aviação regular em comparação com outros países. Foram 0,19 por um milhão de decolagens em 2014, enquanto a mesma média mundial foi de 0,39.

 

Ano trágico

A queda do voo 8501 da AirAsia, que seguia da Indonésia para Cingapura em dezembro de 2014, fechou um ano trágico para a aviação mundial. Mas será que esse foi o pior ano da história da aviação recente? Sim e não. Depende do ponto de vista.

Em termos de acidentes, 2014 registrou o número mais baixo dos últimos 80 anos, de acordo com a Aircraft Accidents Archives, cuja sede fica em Genebra. Com o desaparecimento do AirAsia, foram 111. A última vez que o mundo teve 111 acidentes foi em 1927.

Em relação às mortes, porém, os números pintam um quadro mais sombrio. Depois da tragédia com o AirAsia, o ano foi considerado o mais mortal da última década, com 1.320 mortes.

Do IG