Campanha Salarial:Aeronautas e Aeroviários realizam assembleias nesta quarta-feira (14)

Para a FENTAC/CUT, a contraproposta de aumento salarial de 0,16% é “inaceitável”

358

Mais uma vez, a rodada de negociação da Campanha Salarial dos  trabalhadores na aviação civil da CUT (aeronautas e aeroviários) terminou em impasse. Esta é a sexta negociação realizada na tarde desta segunda-feira (12), na sede do Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (SNEA), que representa as companhias TAM, GOL, Azul e Avianca, no Ibirapuera, em São Paulo.

A bancada patronal, representada pelo SNEA, ofereceu à Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil da CUT (FENTAC/CUT), a contraproposta de reajuste salarial de 6,5%, ou seja, somente 0,16% de aumento real no salário. Nas últimas rodadas, o índice proposto pelas aéreas foi 6,33%, que se refere à reposição da inflação da data-base das categorias, 1º de dezembro —  índice que havia sido rejeitado pelos trabalhadores.

Com relação à melhoria na cesta básica e vale-refeição, as empresas aéreas propuseram reajuste de 7% nestes benefícios. Os presidentes da ABEAR, Eduardo Sanovicz, e do SNEA, Odilon Junqueira, foram os interlocutores da bancada patronal.

Uma nova rodada está prevista, mas ainda sem data e horário definidos.

Reivindicação dos aeronautas e aeroviários é 9%

Sergio Dias, presidente da FENTAC/CUT, disse estar perplexo a posição das empresas. “Ganho de real de 0,16% no salário não é uma proposta que deve ser levada a sério. Os trabalhadores nas assembleias, no dia 14,  darão resposta à altura”, frisa.

Sobre o reajuste patronal nos vales-alimentação e refeição, Dias disse que os trabalhadores também se manifestarão a respeito nas assembleias. As categorias mantêm a reivindicação de reajuste salarial com ganho real de 9% nos salários e e demais benefícios. 

Condições de ganho real

Para a FENTAC, as empresas aéreas têm condições em apresentar uma contraproposta decente de ganho real nos salários. Dados da aviação brasileira contradizem o discurso patronal de “que não vivem uma boa fase”.

Alguns deles são: a demanda operacional do transporte de passageiros que cresceu 5,33% no Brasil, nos últimos 12 meses, segundo a Agência Nacional da Aviação Civil (ANAC). Em 2014, foram transportados 121,6 milhões de passageiros, ante 115,2 milhões em 2013.

Além disso, o setor é um dos únicos da economia que mais crescem, ficando atrás apenas do financeiro. A produtividade teve avanço de 6,3% em 2014 e nos últimos 10 anos, a aviação civil no Brasil cresceu  em média 213%.

Nos últimos dez anos, apenas em 2006, 2009 e 2013, os aeroviários e aeronautas da base da CUT conquistaram ganhos reais nos salários maiores que 1%. “Portanto, 0,16% é inaceitável para as categorias. Os dados reforçam que as aéreas podem avançar mais”, finaliza Dias.

Assembleias no dia 14

Os sindicatos filiados à FENTAC dos Aeroviários de Guarulhos, Porto Alegre, Campinas, Recife, dos 22 estados da base do Sindicato Nacional dos Aeroviários e o Sindicato Nacional dos Aeronautas realizarão, na quarta-feira (14), assembleias com as categorias para definir os próximos passos das mobilizações da Campanha Salarial. “Os trabalhadores estão mobilizados e caso as empresas mantenham a intransigência, novos protestos acontecerão neste mês de janeiro”, alerta Dias.

Aeronautas aprovam “estado de alerta”

Indignados com a postura intransigente das empresas aéreas, os aeronautas aprovaram em assembleias, no último dia (7), em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Belém e Campinas o “estado de alerta”.

Isso significa que será intensificada a mobilização nos aeroportos. Também no dia 14 eles definirão em assembleias novos encaminhamentos.

Na última rodada, ocorrida no dia 5, dirigentes da Federação e do SNA se reuniram com o SNEA, que negou avançar na reivindicação de 9% e nos demais benefícios sociais.

Em Campanha

A data-base das categorias é 1º de dezembro e estão em campanha cerca de 70 mil aeronautas e aeroviários em todo o País. A base da Federação é representada pelo Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA/CUT), pelos Sindicatos regionais dos Aeroviários de Guarulhos, Porto Alegre, Campinas, Recife e pelo Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA/CUT), que representa 22 estados.

Hotsite da Campanha

Os slogans da Campanha Salarial da FENTAC são “Desafio a empresa a me valorizar” e “Chega de Ganhar Mal, Queremos mais Direitos e Ganho real”. Confira informações da Campanha no hotsite(www.aeronautaseaeroviarios.com.br

Viviane Barbosa, Redação FENTAC