FENTAC se solidariza com a luta dos trabalhadores na aviação da Argentina contra a política econômica de Macri

A Federação também pede  atenção aos trabalhadores brasileiros, pois no Brasil o golpe ainda não acabou

1137

A FENTAC apoia a paralisação dos trabalhadores argentinos na aviação e demais setores dos transportes contra a política econômica do presidente argentino Mauricio Macri nesta segunda-feira (25) –  o movimento faz parte da 3ª Greve Geral do País.

Desde às 00h, os aeroportos do país estão vazios e todas as corporações aeronáuticas aderiram à paralisação.

Os sindicatos da Argentina se opõem ao acordo firmado pelo governo com o Fundo Monetário Internacional (FMI) devido ao agravamento da situação econômica do país. Esta greve geral na Argentina é a terceira em 15 meses contra o governo de Macri. As outras duas foram convocadas em 6 de abril e 18 de dezembro de 2017.

O movimento na aviação é organizado pela  Asociación del Personal Aeronáutico (APA), União Pessoal Superior e Profissional de Empresas Aerocomerciais (UPSA), Associação de Técnicos e Empregados de Proteção e Segurança Aeroportuária (ATEPSA), Associação de Pilotos de Linhas Aéreas (APLA), Associação de Tripulantes de Empresas Aerocomerciais (ATCPEA), União de Aviadores de Linhas Aéreas (UALA) e Associação Argentina de Aeronavegantes (AAA).

A Federação se solidariza com a luta e parabeniza os trabalhadores argentinos pelo sucesso do movimento grevista.

Atenção no Brasil 

A FENTAC pede  atenção aos trabalhadores brasileiros, pois no Brasil o golpe ainda não acabou. É preciso estar alerta nas assembleias e mobilizações necessárias para não perdermos mais direitos econômicos e sociais da nossa classe trabalhadora e também da nossa profissão na aviação.

Direção FENTAC/CUT