FENTAC repudia demissões em massa de aeroportuários no GRU Airport

Concessionária desligou 200 trabalhadores na quarta-feira, 1º de fevereiro

764

A FENTAC/CUT, que representa cerca de 110 mil aeroviários, aeronautas e aeroportuários no país, repudia a decisão da Concessionária que administra o Aeroporto Internacional de Guarulhos, GRU Airport, que demitiu 200 aeroportuários na quarta-feira, 1º de fevereiro.

Em nota, o Sindicato Nacional dos Aeroportuários (Sina) relata que as demissões representam 14% do total de 1.200 trabalhadores e iniciaram no setor de Cargas, o TECA.

A “nova gestão” de RH da Concessionária justifica que os desligamentos fazem parte de um “processo de reestruturação”, no entanto, em nenhum momento se reuniu com o Sina para conversar a respeito. Uma falha grave.

Para o Sina, nenhuma reestruturação justificaria demitir 200 funcionários num setor que exige tanta especialização e treinamento, cuja segurança é fator crítico, como o aeroportuário.

Além disso, os aeroportuários já vivem tendo que enfrentar o assédio moral por aumento de produtividade constante, aceitaram um reajuste aquém do necessário por conta da crise no país, trabalham por dois ou mais pois a empresa contrata menos do que deveria, e agora são ameaçados com uma demissão em massa. O Sindicato questionará as demissões junto à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e ao Ministério do Trabalho e vai pedir uma auditoria da ANAC. 

A FENTAC, mais uma vez, se solidariza com os aeroportuários demitidos e se soma à luta do Sina. É inaceitável essa decisão da GRU Airport. São 200 pais e mães de família que foram demitidos diante de uma conjuntura perversa, de ataque aos direitos e repressão.

Para nós é covardia a atitude da Concessionária que trata seus funcionários como “números” e não como seres humanos. Neste momento tenso que o Brasil vive, infelizmente o capital se aproveita para impor suas vontades, desrespeitando os trabalhadores.

A FENTAC espera que a GRU Airport repense essa decisão, revogue essas demissões e valorize, acima de tudo, o diálogo e a negociação, que são os melhores caminhos para dirimir os conflitos.

Estamos juntos com o Sina e com a categoria aeroportuária! 

Basta de precarização!

Sergio Dias, presidente da FENTAC/CUT