Guarulhos: Sindicato pede à Justiça que acione TAM sobre mudanças no Convênio Médico

Empresa tem praticado discriminação no convênio, que tem prejudicado a categoria

392

O Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos (Sindigru/CUT) entrou com um pedido de medição junto ao Ministério Público do Trabalho de Guarulhos (MPT) para buscar alternativas sobre as mudanças arbitrárias no plano de saúde dos funcionários na TAM.

O Sindigru tomou essa providência atendendo às inúmeras reclamações dos trabalhadores que tiveram mudanças bruscas no convênio, sem  prévia discussão, pegando todos de surpresa.

“Milhares de funcionários estão se sentindo insatisfeitos e lesados com as alterações propostas pela TAM nos seus planos”, frisa o presidente do Sindicato, Orisson Melo.

Divisão

A maior reclamação se refere à divisão dos funcionários por categorias, o representa um afronta ao princípio da igualdade, previsto na Constituição Federal Brasileira, que assegura que “todos são iguais perante a Lei”.

Outro grave problema é a rede das operadoras contratadas, considerada precária, porque não atende todas as necessidades dos trabalhadores.

Pesquisa

Na opinião do Sindigru, a TAM deveria fazer uma pesquisa de campo com seus trabalhadores para estabelecer qual a empresa de convênio se adaptaria melhor para a realidade dos  trabalhadores.

Leia mais em: “O que a TAM faz com seus funcionários é um verdadeiro massacre aos direitos”, frisa Orisson