Dirigentes aeroviários destacam a importância da unidade para barrar retrocessos nos direitos

Confira os depoimentos no Portal FENTAC

836

O Portal FENTAC ouviu dirigentes dos sindicatos filiados que falaram sobre as lutas, desafios diante da atual conjuntura política econômica do país e a necessidade da unidade dos trabalhadores. Confira a seguir os depoimentos: 

“Precisamos melhorar a participação da categoria, isso é fundamental. O Sindicato é a casa do trabalhador! Estamos preocupados com essas propostas de reformas, trabalhista e previdência que seguem no Congresso. Caso sejam aprovadas, afetarão a segurança de voo, por isso, a unidade dos trabalhadores cada vez mais é necessária”, Leonel Montezana, presidente do Sindicato dos Aeroviários de Porto Alegre  
 

“Nossas conquistas são boas e foram fruto de muita luta e mobilização da nossa categoria, mas precisamos avançar mais. Na nossa base em Recife, estamos lutando para melhorar as condições de trabalho para os aeroviários nas empresas terceirizadas, buscando uma melhor qualidade de vida para todos” , Erivaldo Pereira Dutra, presidente do Sindicato dos Aeroviários de Pernambuco e secretário de Saúde da FENTAC.
 

“O Sintaag representa a voz  dos trabalhadores nas empresas auxiliares no Aeroporto Internacional de Guarulhos e isso pra nós é um grande orgulho. Temos que continuar a luta pela melhoria constante nas condições de trabalho e salário. Esperamos que nas negociações da Campanha Salarial deste ano as empresas tenham maior sensibilidade e avancem nas reivindicações dos trabalhadores”, Jorge Dardis, presidente do  Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Auxiliares de Guaurulhos (Sintaag) e secretário jurídico da FENTAC 

“Ao longo dos últimos anos, graças à luta dos sindicatos aeroviários cutistas e da FENTAC conquistamos importantes direitos, como a licença-maternidade de 180 dias para mãe aeroviária. Na nossa base em Campinas, temos lutado para que as empresas valorizem e reconheçam o trabalho dos despachantes de voo ( Blue Cap-Azul, Orange cap-Gol e Red cap Latam), que desempenham uma função essencial para segurança de voo”, Diogo Almeida, dirigente do Sindicato dos Aeroviários de Campinas e Secretário de Formação da FENTAC
 

“A conjuntura que vivemos no Brasil é muito difícil, por isso, para avançar nas nossas conquistas, temos que manter a unidade na luta. Essa solidariedade de classe nos manterá cada vez mais fortes para resistirmos e enfrentarmos quaisquer ataques aos nossos direitos”, Luiz da Rocha Pará, presidente do Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA) e dirigente da FENTAC 

 

“As propostas de reformas  trabalhista e previdenciária, caso sejam aprovadas, vão atingir diretamente a categoria. O aeroviário (a) hoje tem o direito à aposentadoria especial por conta da exigência física. Caso a reforma da previdência seja aprovada, ele perderá esse direito, impactando na segurança de voo. Isso porque o trabalhador precisa estar 100% apto à atividade e retirar esse direito pode colocar a vida de milhares de pessoas em risco.  Já  a reforma trabalhista tem impacto nos direitos que conquistamos há décadas e precarizará todos os trabalhadores. Mas com  unidade da categoria, esse cenário nefasto não acontecerá”, Rodrigo Maciel, presidente do Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos (Sindigru)  e secretário de Comunicação da FENTAC