Táxi Aéreo: FENTAC/CUT se reúne com SNETA para avançar nos direitos sociais e econômicos

Assembleias para debater com a categoria estão agendadas nos dias 12 e 18 de agosto

400

A FENTAC/CUT e os sindicatos dos aeronautas e aeroviários filiados participaram nesta quarta-feira (5) de reunião com o Sindicato Nacional das Empresas de Taxi Aéreo (SNETA) para dar continuidade às discussões da negociação coletiva dos trabalhadores do setor. A reunião aconteceu na sede do Sindicato patronal, no Rio de Janeiro.

Na ocasião, foi apresentada por parte da bancada dos trabalhadores propostas complementares à proposta feita durante audiência de mediação no Tribunal Superior do Trabalho (TST), no dia 30 de julho, em Brasília.

O comandante Marcelo Ceriotti, diretor jurídico do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA),  defendeu que para que a proposta do TST, inferior a inflação, possa ser levada à assembleia  é necessário que seja feito avanços na redação de algumas cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), como melhorias nos benefícios:  cesta básica e vale-alimentação e a criação de um seguro para os aeronautas em situação de afastamento previdenciário ou acidente aeronáutico.  “Temos que levar às assembleias propostas que apresentem alguma evolução para a categoria”, reforçou Ceriotti.

Já o presidente da FENTAC/CUT, Sergio Dias, defendeu as reivindicações dos aeroviários. Entre elas estão: a extensão da licença-maternidade, garantia de emprego às vésperas da aposentadoria e redução do período máximo de trabalho consecutivo do aeroviário em missão. “Queremos evoluir em uma proposta que melhore os direitos sociais para os trabalhadores", destaca Dias.

O presidente do Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA), Luiz da Rocha Cardoso, o Pará, reforçou que para que a proposta do TST seja defendida é necessário que haja uma contrapartida das empresas. “O clima de insatisfação dos trabalhadores é muito grande”, salienta.

O SNETA se comprometeu a levar as propostas  às empresas e dar um posicionamento até sexta-feira (7). A bancada patronal também fez duas reivindicações: com relação aos aeroviários, que seja incluída na CCT a possibilidade de divisão de férias em dois períodos, exclusivamente para aeroviários em atividade administrativa. Já no caso dos aeronautas, acrescentar, no início da cláusulas de diária, a frase “ressalvadas as condições mais favoráveis praticadas pelas empresas” a fim de evitar problemas fiscais de alguma empresa praticar valor superior fixado na CCT.  Não há mais reuniões agendadas.

Assembleias

As propostas serão deliberadas pelos trabalhadores nos dias 12 de agosto (aeronautas) e 18 de agosto (aeroviários).

 

Reunião TST

A audiência de mediação no Tribunal Superior do Trabalho (TST), no dia 30 de julho, em Brasília,  não apresentou avanços econômicos para a categoria. A proposta feita pelo TST sobre a Campanha Salarial 2014/2015 dos trabalhadores no Táxi Aéreo foi considerada “muito frágil” pelos sindicatos dos aeroviários e aeronautas filiados à FENTAC/CUT.

Com isso, a Federação e das entidades seguem na luta para que haja algum avanço econômico e melhorias nos direitos sociais, clausulas que não geram custos.   

A data-base dos aeronautas e aeroviários venceu em 1º de dezembro de 2014 e desde lá foram realizadas diversas negociações para celebrar uma Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) com avanços nos direitos econômicos e sociais, no entanto, a bancada patronal infelizmente não avançou e manteve 0% de reajuste salarial.

Na base da FENTAC, os aeronautas no Táxi-Aéreo somam cerca de 13 mil e os aeroviários são 40 mil.

Vanessa Barboza, Redação FENTAC