28 de abril: "Ou a gente para ou vai morrer trabalhando”, frisa Cláudia aeroviária de POA

Diretora executiva de Lazer e Cultura do Sindicato dos Aeroviários de Porto Alegre participou da atividade da FENTAC

835

A diretora executiva de Lazer e Cultura do Sindicato dos Aeroviários de Porto Alegre e mecânica na Aeromot, Claudia Louro, também conversou com o portal FENTAC sobre o 1º Seminário de Mulheres na Aviação, promovido pela Federação. A atividade foi realizada nos dias 5 e 6 de abril, no auditório do (Sindigru), em Guarulhos, grande São Paulo.

Na breve entrevista, a dirigente destacou a importância da mobilização no dia 28 de abril, greve geral em defesa dos direitos. “Ou a gente para ou simplesmente vai morrer trabalhando”, alerta. Confira mais a seguir: 

Portal FENTAC: Quais ensinamentos você tira desse evento e o que você vai levar para sua base a partir de agora?

Claudia Louro: O principal ensinamento que tivemos aqui, dentre vários, é que as mulheres têm que se ficar a par dos seus direitos e que nós precisamos nos unir mais porque, em caso de retrocessos, somos nós que vamos perder mais. Se a gente não se mobilizar, simplesmente teremos que pegar em armas futuramente ou nossos filhos.

Portal FENTAC: No dia 28 de abril, greve geral, por que as pessoas precisam parar nessa data?

Claudia: Ou a gente para ou simplesmente vai morrer trabalhando. Se a gente não se engajar nas movimentações que estão ocorrendo em defesa dos direitos, vamos ter que pagar um plano funeral, pois esse será nosso destino.