Conscientização: "Temos que ter campanhas permanentes de janeiro a dezembro rosa”, diz Selma

Em entrevista ao Portal FENTAC, a Secretária Geral destaca a importância das políticas públicas

475

Na cor rosa, o Portal da FENTAC/CUT entrou no clima da conscientização do  Movimento Outubro Rosa, data criada para conscientizar o público em geral, e principalmente as mulheres, dos fatores de risco, dos fatores de proteção e das medidas de detecção precoce relacionadas ao câncer de mama.

Para a diretora da FENTAC/CUT e do Sindicato Nacional dos Aeroviários, Selma Balbino, é louvável ter um mês símbolo para chamar atenção desta questão tão importante que é o câncer de mama. “As mulheres, o governo brasileiro e a sociedade têm que ter campanhas permanentes, não sendo apenas o Outubro Rosa, mas sim de janeiro a dezembro rosa”, explica.

A sindicalista destaca que o principal objetivo da campanha é trabalhar as políticas públicas permitindo que as mulheres tenham acesso à mamografia e à mastologia para que possam fazer seus exames periódicos.

Ainda segundo a diretora, há lugares no Brasil em que as mulheres nunca tiveram acesso a esses tipos de exames, sendo que o Brasil é a 7ª maior economia do mundo. “Muitas mulheres morrem pela falta de condições, nesse sentido é louvável esse outubro, mas ele tem que ser o ano inteiro, com campanhas institucionais, não só do governo, mas também dos planos de saúde”, finaliza Selma.

""
Arte da Campanha do INCA

Conhecimento

A doença está relacionada a fatores de risco, reprodutivos/hormonais e genéticos/hereditários. Esses últimos são responsáveis por 5% a 10% do total de casos.

O câncer de mama é o mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do de pele não melanoma, respondendo por cerca de 25% dos casos novos a cada ano. O câncer de mama também acomete homens, porém é raro, representando apenas 1% do total de casos da doença.
 
Relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta idade sua incidência cresce progressivamente, especialmente após os 50 anos. Estatísticas indicam aumento da sua incidência tanto nos países desenvolvidos quanto nos em desenvolvimento. Existem vários tipos de câncer de mama. Alguns evoluem de forma rápida, outros, não. A maioria dos casos tem bom prognóstico. O INCA estima que surgirão 57. 120 novos casos: 57.120 em 2015

Estima-se que 30% dos casos da doença possam ser evitados quando são adotadas práticas saudáveis como: praticar atividade física regularmente, alimentar-se de forma saudável; manter o peso corporal adequado e evitar o consumo de bebidas alcoólicas. Amamentar também é um importante fator de proteção.