Dirigentes debatem em grupos a origem e princípios do sindicalismo no Brasil

Outra questão abordada foi a questão da necessidade de democratizar e aprimorar a organização nos locais de trabalho

345

No segundo dia (6) do 1º Curso de Formação Sindical da FENTAC,  os dirigentes iniciaram as atividades com uma dinâmica, na qual cada participante disse o que aprendeu no primeiro dia do curso.

Durante a dinâmica, o aeroviário de Guarulhos, André Peres dos Santos, se emocionou ao lembrar-se do pai, ex-sindicalista, falecido há dois meses,  ao comentar sobre o vídeo da 1ª Conferência Nacional da Classe Trabalhadora (CONCLAT), exibido no primeiro dia do curso. “Meu pai foi metalúrgico e fez parte da luta cutista desde o começo. Fiquei muito feliz de ver como foi a Conferência e entender mais sobre a história do movimento sindical brasileiro”, destacou.  

Após a atividade, os participantes formaram grupos para debater sobre a origem e princípios do Sindicalismo no Brasil, estrutura social e administrativa dos Sindicatos e a formação da CUT, idealizada a partir da CONCLAT, em 1981, que culminou um processo de retomada do movimento sindical nacional.

Também foram levantados os desafios que os dirigentes, junto à CUT, tem que enfrentar, como a efetiva autonomia sindical diante do direito à greve, que constantemente é afetada por repressão, exemplo recente, o caso dos professores paranaenses, que foram agredidos pela PM.

Outra questão abordada foi a questão da necessidade de democratizar e aprimorar a organização nos locais de trabalho para aumentar a representatividade do Sindicato. 

Curso de Formação da FENTAC

Este é o primeiro curso de Formação Sindical da FENTAC, promovido pela CUT e o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A atividade aconteceu no Instituto Cajamar, em Cajamar (SP), de 5 a 7 de maio. Participaram  dirigentes aeronautas, aeroviários e aeroportuários de todo o País. 

Vanessa Barboza, Redação FENTAC