28 de abril:"A aviação tem a obrigação de parar porque a terceirização vai impactar na segurança de voo", diz aeroviária Debora

Para a secretária geral do Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos e dirigente da FENTAC, a atividade fortaleceu o empoderamento feminino

795

A  Secretária geral do Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos  (Sindigru) e diretora da FENTAC, Debora Cavalcanti,  falou com o portal FENTAC  sobre a rica experiência do 1º Seminário de Mulheres na Aviação, promovido pela Federação. A atividade foi realizada nos dias 5 e 6 de abril, no auditório do (Sindigru), em Guarulhos, grande São Paulo.

Na entrevista, a dirigente  destacou que é fundamental a participação do setor da aviação na greve geral em defesa dos direitos, no dia 28 de abril. “ O setor aéreo tem a obrigação de contribuir até porque a terceirização vai impactar diretamente na segurança de voo”, alerta.  Confira a seguir: 

Portal FENTAC: Primeiro evento das mulheres na aviação, uma excelente representação de várias localidades do país. Quais ensinamentos você analisa que essas companheiras vão sair daqui e aplicar nas bases?

Debora Cavalcanti: Primeiro ensinamento vai ser o empoderamento das mulheres. Nós percebemos que as companheiras saíram muito mais seguras e muito mais entusiasmadas em levar tudo o que elas aprenderam para a categoria. Temos dificuldade de união entre as mulheres, mas o seminário serviu para mostrar que, juntas, somos mais fortes.

Portal FENTAC:  Com relação ao dia 28 de abril, greve geral, qual é a importância do setor aéreo nessa luta nacional? 

Debora: A aviação tem a obrigação de contribuir até porque a terceirização vai impactar diretamente na segurança de voo.  Então, o setor aéreo tem o dever de mostrar e conscientizar a sociedade, não só os trabalhadores.

Eu costumo dizer dentro do aeroporto para os trabalhadores que a gente não vai lutar por nós só, a gente tem que pensar no futuro de nossos filhos e da sociedade. Meu pai é hoje aposentado, já eu  nunca! A reforma de Temer iguala tanto para homens quanto para mulheres a idade de 65 anos para se aposentar  e o tempo para contribuição para 49 anos. Meu filho com certeza não vai se aposentar! Então é dever de cada cidadão, não só do sindicato, de lutar pelos seus direitos.