Aeroviários na Gol, em Guarulhos e na base do Nacional, rejeitam proposta de redução de jornada e salário

Empresa queria propor part-time 4 horas. Proposta foi amplamente rechaçada

937

Os aeroviários e aeroviárias na Gol, em Guarulhos da base do Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos (Sindigru)  e da base do Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA) rejeitaram a proposta de redução de jornada e salário da empresa, durante assembleias realizadas em maio nas bases do Nacional em todo país e no GRU Airport, em Guarulhos/SP. 

Segundo os Sindicatos, a intenção da empresa era fazer com que profissionais que atuam com carga diária de seis horas passassem para quatro. Na prática, eles se tornariam part-times. Além de diminuição nos salários, também haveria queda no valor de benefícios com vales-alimentação e refeição.

A direção do SNA acredita que a tentativa da Gol de reduzir a jornada de trabalho tinha como objetivo substituir parte dos profissionais qualificados pelo Programa Jovem Aprendiz. Segundo Selma Balbino, diretora do Sindicato e diretoria financeira da FENTAC, a empresa intensificou este tipo de contratação em várias de suas bases. “A Gol vem ampliando absurdamente o número de jovens contratados por este processo. Eles não têm nenhum dos direitos da categoria aeroviária, recebem salários muito inferiores, mas realizam funções similares. Em algumas bases, os jovens aprendizes fazem as mesmas atividades dos agentes de check-in”, afirma Selma.

União 

O presidente do Sindigru e diretor de comunicação da FENTAC, Rodrigo Maciel, ressaltou que a categoria aeroviária está unida e não vai aceitar qualquer tipo de precarização no trabalho. “Estaremos na luta contra qualquer ataque que atente aos direitos: nenhum direito a menos”, finaliza.